Assessor de Henrique Eduardo Alves pede demissão após denúncias

Líder do PMDB na Câmara aceitou o pedido de demissão do funcionário. Henrique Alves é candidato à presidência da Câmara dos Deputados.

Iara Lemos Do G1, em Brasília

Júlio Delgado (PSB-MG), Rose de Freitas (PMDB-ES) e Henrique Alves (PMDB-RN), que devem disputar comando da Câmara em fevereiro Foto: Agência Câmara/Agência Brasil
Júlio Delgado (PSB-MG), Rose de Freitas (PMDB-ES) e Henrique Alves (PMDB-RN), que devem disputar comando da Câmara em fevereiro Foto: Agência Câmara/Agência Brasil

O assessor parlamentar Aloizio Dutra de Almeida, que trabalhava há 13 anos no gabinete do atual líder do PMDB na Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), pediu demissão do cargo. O pedido foi aceito pelo deputado, segundo a assessoria.

Almeida deixou o cargo na segunda-feira (14), um dia depois de o jornal “Folha de S.Paulo” publicar uma reportagem que o aponta como beneficiário de dinheiro de emendas parlamentares destinadas pelo deputado Henrique Alves para obras no Rio Grande do Norte.

Segundo a assessoria do deputado, o assessor pediu demissão para  o caso “não servir de uso político”. Henrique Eduardo Alves é candidato à presidência da Câmara dos Deputados com o aval da cúpula do PMDB. A assessoria do deputado negou que ele tenha cometido alguma irregularidade e afirmou que a campanha pela presidência da Câmara será intensificada nos próximos dias.

Nesta terça (15), o líder do PMDB começou a busca de apoios para a campanha à presidência.  Henrique Eduardo Alves está em Porto Alegre, onde deve se reunir com o governador do estado, Tarso Genro, e com parlamentares da bancada gaúcha. Ainda nesta semana, o deputado vai apresentar seu plano de trabalho em Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro.

Conselho de Ética
Presidente do Conselho de Ética da Câmara, o deputado José Carlos de Araújo (PDT-BA) afirmou nesta terça-feira (15) que o colegiado “não foi provocado” sobre as denúncias envolvendo o líder do PMDB – ou seja, não foi feito ao conselho pedido de investigação de Alves.

Mesmo assim, na análise de Araújo, as denúncias podem ser prejudiciais para o candidato à presidência da Casa. “Qualquer notícia cria um problema para qualquer candidatura, mas acredito que o Henrique Eduardo tem justificativa para o caso. Ele já disse claramente que não tem ligação nenhuma”, disse.

Fonte: G1

Deixe uma resposta