Prefeitura, Governo, Confraria Tucuju e população celebram os 255 anos de Macapá

Macapá completou nesta segunda-feira, 4, seus 255 anos e a festa da cidade fechou mais um ciclo de uma cerimônia cheia de tradição e rituais que se perpetuam ao longo dos anos, atraindo multidão para a o centro histórico da cidade. Famílias tradicionais, autoridades, gente do povo, de todas as classes sociais e idades, se encontram nesta data para abraçar e desejar à capital amapaense renovação.

Entre pronunciamento de autoridades, hasteamento das bandeiras, corte e distribuição do bolo de 50 metros, encontro das bandeiras do Marabaixo e apresentações artístico-culturais, o aniversário trouxe à tona a reflexão de seus cidadãos pedindo uma Macapá melhor, mais justa e mais cuidada. Um sentimento compartilhado por todos, inclusive pelos gestores do executivo, Prefeitura e Governo, que durante a cerimônia reafirmaram parceria para cuidar de Macapá.

O prefeito Clécio Luís ressaltou a importância de se unir forças em prol de Macapá. “Este aniversário está sendo feito por muitas mãos. Que este gesto se estenda não só como uma declaração de amor, mas com gestos concretos. A prefeitura, e qualquer outra instituição, sozinha, não conseguem êxitos concretos, por isso temos de estar de mãos dadas com o povo”.

O governador Camilo Capiberibe falou da situação de Macapá, se solidarizou ao prefeito, lembrando ter passado por fase semelhante no início de sua administração e reafirmou a parceria. “A disposição de melhorar a cidade é um compromisso nosso prefeito”.

A presidente da Confraria Tucuju, Telma Duarte, agradeceu ao governo do Estado pelo apoio, e também a Prefeitura pela retomada da parceria. “Macapá precisa ser amada, cuidada, precisa de união, com gestores jovens que mostram disposição para trabalhar por uma Macapá melhor. Precisamos que a cidade volte a ser maravilhosa”, enfatizou.

O senador Randolfe Rodrigues fez um breve histórico sobre o nascimento da vila de Macapá, destacando a importância de sua localização estratégica e de suas exuberâncias. Ele também deu enfoque em seu discurso à importância de união. “Macapá vive a mais grave crise de todos os tempos, mas também este ano mostra a união dos poderes – governo e prefeitura”.

Ao som dos tambores

Após a fala das autoridades foi a vez da abertura da roda de Marabaixo. E nela, prefeito, governador e demais autoridades, juntaram-se à população no arrasta pé entoado pelas “negras” caixas e puxado pelas mulheres com suas saias rodadas e coloridas, toalha no ombro e cabelos ornados com flores.

Em seguida, o “Parabéns para Macapá” foi regido pela banda de música da Guarda Civil Municipal, diante do bolo de 50 metros, decorado com temáticas dos patrimônios e das manifestações culturais da capital. O recheio teve os sabores da região – cupuaçu, bacuri, açaí, maracujá e castanha. E mais uma vez, a obra de arte que demorou quase uma semana para ficar pronta pelas mãos dos 18 confeiteiros da equipe da empresária Alice Caxias, sumiu aos olhos em pouco menos de duas horas.

Todos pegaram uma fatia da delícia, que consumiu mais de 700 quilos de trigo, 7 mil ovos, 220 quilos de manteiga, 700 quilos de açúcar, 400 litros de leite.

Aprovação popular

A professora aposentada Marilene Galvão gostou da festa e fez questão de dizer que acredita em mudanças. “Apesar de tudo, nossa Macapá precisa sim de festa. Espero que essa nova administração consiga limpar nossa cidade, já está começando, mas acredito que melhore”.

Na fila do bolo, o servente Raimundo da Silva observou que a programação foi mais extensa que os anos anteriores. “A festa é uma tradição, tem que fazer sim, é uma obrigação. Este ano gostei porque se estendeu por vários bairros e a festa iniciou faz mais de uma semana, não ocorreu só neste dia”.

E a programação de aniversário da cidade se estendeu durante todo o dia, com a feijoada dos confrades e o almoço dos pioneiros, e varou a noite com shows no Largo dos Inocentes. Prefeitura de Macapá e Governo do Estado ofereceram diversos serviços à população, com ações nas áreas de saúde e sociais, como a retirada de carteira de identidade, dentre outros.

A festa de aniversário de Macapá foi resgatada pela Confraria Tucuju, que organiza e realiza os festejos há 16 anos, com o apoio do Governo do Estado e da Prefeitura de Macapá.

Pérola Pedrosa – Asscom PMM

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.