Educa

Prefeitura inicia Operação tapa-buracos nas ruas e avenidas de Macapá

Com três frentes de trabalhos, a Prefeitura Municipal de Macapá (PMM) deu início nesta quinta-feira, 21, a operação tapa-buracos. As equipes estão trabalhando nas ruas e avenidas com maior fluxo de veículos e que apresentam maior necessidade de manutenção. Em seguida, a operação partirá para os bairros, de forma a atender às necessidades de toda comunidade. O asfalto que está sendo usado é fruto do acerto de contas entre a PMM e a empresa Manari.

Durante o serviço, o prefeito Clécio Luís deixou clara sua insatisfação com o trabalho de tapa-buracos, mas devido ao estado das vias públicas da cidade, faz-se necessária a operação, buscando amenizar os acidentes e problemas causados pela buraqueira. No entanto, esclareceu o prefeito, o objetivo é priorizar a pavimentação das ruas e avenidas de Macapá tão logo as chuvas cessem, com material de qualidade e duradouro.

O prefeito e o secretário de Obras e Serviços Públicos, Elder Fábio, estão empenhados em buscar alternativas e recursos, para quando chegar o verão, a pavimentação inicie.

“O asfaltamento é de responsabilidade da prefeitura e estamos procurando diversas formas para termos uma pavimentação de qualidade, que seja resistente a chuva e ao sol. Para isso buscamos parcerias entre o poder estadual e federal”, informou o prefeito.

Devido à situação em que foi deixada a Prefeitura – com pagamentos atrasados de fornecedores, serviços terceirizados e funcionários, em áreas imprescindíveis para o serviço público, como a saúde, o prefeito teve de priorizar ações no primeiro mês de seu governo, para manter os serviços básicos à população. Dessa forma, engessado também por falta de orçamento, que só abrirá em março, o asfaltamento precisou de parcerias.

“O salário do trabalhador é primordial. As pessoas precisam comer, pagar suas contas, não podia deixá-los de lado. Tivemos que nos concentrar em garantir isso a eles, mas não deixamos de lado os outros problemas. Estamos correndo atrás e vamos conseguir”, garante o prefeito.

Nas ruas, moradores se demonstram compreensivos com a atual gestão. Consideram que o prefeito vem mostrando trabalho, pelo pouco tempo à frente do município.

“Apesar das dificuldades, o prefeito vem desempenhando um ótimo trabalho. Espero que continue assim, com esse empenho e vontade que estamos percebendo. Com apoio da população ele fará as melhorias para a cidade que está muito necessitada”, ressaltou o técnico em Informática, Nilson Mira.

Para a vendedora Cleuciane Barcelar, Macapá estava abandonada. “As vias públicas estão carentes de asfalto, esperamos que ele continue com esse trabalho, e que possa atender às necessidades da população. Foi para isso que nós o elegemos. Para fazer o que o outro não fez”.

Operação tapa-buracos

Cerca de 800 toneladas de asfalto estão serão usadas no serviço emergencial de tapa-buracos, que tem três frentes de trabalho. A primeira equipe de trabalho esteve nesta quinta-feira, 21, na Rua Cândido Mendes, no trecho entre as avenidas FAB e Mendonça Junior, no sentido norte/sul. Em seguida, esta mesma equipe atuou na Rua São José, entre as avenidas Beira Rio e Presidente Vargas e também na Avenida Padre Julio, entre Cândido Mendes e Santa Catarina.

A segunda turma executou a operação na Rua Mato Grosso, no trecho entre a Ponte Sergio Arruda e Avenida FAB. O terceiro grupo esteve na Avenida General Rondon, entre a Avenida FAB e a Ponte Sérgio Arruda. Essas duas equipes são formadas por servidores da própria Secretaria de Obras, e a terceira é da empresa Manari, que forneceu 400 toneladas de asfalto, como parte do pagamento de débito junto a Prefeitura.

O produto usado para tapar os buracos, na primeira e segunda etapas, será o asfalto produzido e aplicado a frio. Cem toneladas estão sendo usadas na primeira fase e 300 toneladas na segunda etapa, que iniciará na próxima segunda-feira, 25. Em dez dias começa a ser utilizado o asfalto da empresa Vale do Aço, de Brasília, cuja tecnologia de aditivos permite a sua aplicação mesmo em dias de chuva, o chamado CBUQ-ITA-F. Desse novo produto serão usadas 200 toneladas durante a terceira fase da operação tapa-buracos.

Na quarta etapa dos serviços serão usadas 180 toneladas de asfalto frio, produzidos pela própria Secretaria de Obras. Ressalta-se, ainda, que 20 toneladas de asfalto usinado a quente e com aplicação também a quente, serão usadas nos trechos que exigem um asfalto de maior resistência. (Fernando França/Semob).

Pérola Pedrosa – Asscom PMM

Fotos: Márcia do Carmo

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.