Educa

COREN AMAPÁ averigua denuncia óbitos de bêbes no HMML

Após denuncia anônima de que no Hospital da Mulher Mãe Luzia está havendo um aumento no número de óbitos , o Presidente do COREN AMAPÁ  Dr. Aureliano esteve hoje (27) pela manhã no HMML para averiguar a denuncia.

Segundo o Presidente do COREN/AP Dr. Aureliano Pires o Conselho recebeu uma denúncia anônima de que 12 bêbes foram a óbitos nesse final de semana no HMML. Em conversa com os profissionais de enfermagem do HMML obteve-se a informação de que morrem um ou dois RN por dia, dado esse que não podemos confirmar, pois não foi encontrado o livro de ocorrências do final de semana no momento da averiguação.

Em março deste ano o Conselho Regional de Enfermagem do Amapá realizou a visita de fiscalização no HMML, após a fiscalização o Conselho fez um dimensionamento para UTI e UCI (Unidade de Cuidados Intensivos) do HMML, orientou a contratação de mais de 41 Enfermeiros e 18 técnicos de enfermagem para completar a equipe destes setores, para poder atingir o MÍNIMO necessário a um atendimento de qualidade. A partir disso, o Conselho  notificou e informou aos gerentes e gestores do Estado sobre essa situação, mas até agora nada foi resolvido.

Outro fator que chamou a atenção do Presidente do COREN AMAPÁ durante a visita realizada, foi que ao entrar no hospital o primeiro impacto é um forte fedor de esgoto que exala pelo hospital, e segundo os funcionários essa situação está ocorrendo há aproximadamente uma semana.

O Conselho Regional de Enfermagem do Amapá encaminhará ainda hoje a denuncia para a Vigilância sanitária e para o Ministério Público, para que seja averiguada a situação e tomadas às providencias necessárias.

Núcleo de Comunicação do COREN/AP

Nota de Esclarecimento

A direção do Hospital Estadual da Mulher Mãe Luzia (HMML), informa que a denúncia da ocorrência de doze óbitos de recém-nascidos naquela maternidade não procede.

O hospital registrou neste último fim de semana, o óbito de dois recém-nascidos que estavam internados na UTI Neonatal, e que tiveram o quadro clínico agravado. O hospital registrou no mesmo período a ocorrência de dois abortos, onde os fetos já encontravam-se mortos no útero das mães.

A direção do Hospital da Mulher não confirmou eventual surto ou presença de bactéria na UTI Neonatal daquela maternidade. Inclusive técnicos do Ministério da Saúde encontram-se no Estado, acompanhando as atividades da Maternidade Mãe Luzia, onde avaliam as boas práticas de atendimento materno-infantil e neonatal.

Edy Wilson/Sesa

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.