3º aniversário da Operação Mãos Limpas é comemorado com cinema, pipoca e guaraná

Nesta terça-feira, 10 de setembro, os movimentos sociais Mãos Limpas e Amapá Contra a Corrupção, promovem na Praça da Bandeira o Cine Mãos Limpas.

Esta foi a forma encontrada pelos movimentos para lembrar o povo amapaense dos fatos envolvendo esta grande operação da Polícia Federal que resultou do desbaratamento de uma organização criminosa com tentáculos em praticamente todos os poderes do Amapá.

O Movimento Mão Limpas e Amapá Contra a Corrupção  tem a cada ano realizado uma ação crítica pelo fato de nenhum dos envolvidos e indiciados pela Polícia Federal ter sido condenado ou preso. No primeiro ano foram distribuídas pizzas na Praça da Bandeira como forma de cobrar para que a operação “não acabasse em pizza”, no segundo ano foi realizada uma festa de aniversário em frente a Assembleia Legislativa, com bolo fúnebre e ornamentação fantasmagórica, uma menção a denúncias da existência de cerca de 3 mil funcionários fantasmas na Casa de Leis. Neste ano a ideia e promover uma sessão de cinema em plena praça pública com a exibição de um documentário sobre a corrupção no Amapá e o resgate da memória de todas as operações policiais de combate à corrupção realizadas no estado.

A sessão do Cine Mãos Limpas ou Cine Papuda como alguns estão chamando, em alusão a penitenciária federal para onde já foram levados diversos políticos amapaenses, iniciará às 18 horas na Praça da Bandeira. Durante a exibição serão realizados intervalos para intervenções, falas e manifestações dos participantes e de populares interessados em expressar sua indignação.

A atividade é aberta a toda sociedade e todos são convidados.

 

Sobre a Operação Mãos Limpas

Por ocasião da Operação Mãos Limpas, cerca de 600 policiais federais realizaram 18 prisões, dentre estes estavam os ex-governadores Pedro Paulo e Waldez Góes, a esposa de Waldez, ex-secretária de Mobilização Social e atualmente deputada, Marília Góes, o presidente do Tribunal de Contas Júlio Miranda, além de diversos secretários, servidores públicos e empresários. Em novos desdobramentos da operação foram presos o ex-prefeito de Macapá, Roberto Góes e os superintendentes da Agricultura e da Aquicultura e Pesca.

No total foram expedidos 26 mandados de prisão, 158 conduções coercitivas e 184 mandados de busca e apreensão.

Após 3 anos da operação e pouco mais de dois da conclusão do inquérito, somente uma denúncia no STJ foi promovida.

Atualmente o inquérito da operação está dividido em 3 partes e segue de acordo com o foro de cada envolvido, parte está no Superior Tribunal de Justiça, outra encontra-se no Tribunal Regional Federal da 1ª Região e por fim, a parte maior, envolvendo investigados sem foro privilegiado, encontra-se na 1ª Vara da Justiça Federal no Amapá.

De acordo com o as investigações da Polícia Federal, foram desviados (roubados) dos cofres públicos mais de R$ 1 bilhão de reais.

 

Movimento Mãos Limpas
Amapá Contra a Corrupção

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.