LinkedIn chega a 15 milhões de usuários no Brasil e aposta em APPs iOS

Rede reformula o aplicativo para iPads e anuncia o lançamento de três apps para iPhones, alhgumas delas já disponíveis na APP Store

No Brasil, 33% das visitas diárias vêm de dispositivos móveis.
No Brasil, 33% das visitas diárias vêm de dispositivos móveis.

O LinkedIn anunciou nesta quarta-feira, 23/10, ter atingido o número de 15 milhões de usuários agora em outubro. O resultado aponta um crescimento de 50% em relação a outubro do ano passado, quando a empresa atingiu 10 milhões de cadastradas no País. O Brasil é o terceiro país mais popular na rede social profissional atrás apenas dos Estados Unidos e da Índia. As receitas da companhia (US$363,7 milhões em 2013/Q2) vêm de três áreas: soluções para atração de talentos, usadas por 20 mil empresas, 500 delas no Brasil e responsáveis por 56% do bolo; soluções de marketing, com mais de 200 clientes no Brasil, e que representa 24% das receitas globais; e contas Premium, responsável por 20% do bolo.

No mundo o Linkedin tem hoje 238 milhões de perfis cadastrados e mais de 3 milhões de empresas com “company pages”.Os usuários móveis representaram 38 % dos visitantes únicos do site. Em alguns mercados, esse volume chega a 50%. No Brasil, 33% das visitas diárias vêm de dispositivos móveis.  E segundo estudo da companhia, os usuários que visitam o LinkedIn via celular são 2,5 vezes mais ativos do que os usuários desktop. Razão pela qual a empresa decidiu investir mais nas plataformas móveis.

Hoje, a empresa anunciou o lançamento de quatro aplicações para dispositivos iOS. Uma delas já estará disponível hoje para usuários brasileiros, em português: o APP para iPad, completamente redesenhado, de modo a privilegiar uma experiência mais personalizada. De cara o usuário perceberá que o novo visual facilitar a visualização de quem está compartilhando conteúdos, conectando com outros usuários, mudando de emprego, etc. O APP também ganhou novas funcionalidades, como acesso ao conteúdo de influenciadores e dos Canais de conteúdo, e a busca por vagas de trabalho.

Continue lendo no IDGNow!

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.