Educa

Escola Barão do Rio Branco promove programação alusiva ao mês da Consciência Negra

A Escola Estadual Barão do Rio Branco promove até o dia 29 de novembro, o projeto pedagógico, intitulado "A consciência Negra e a Igualdade Sociocultural". A iniciativa visa atender a inclusão dos conteúdos de matriz africana no currículo escolar, e também combater o preconceito e a discriminação, estimulando o convívio social harmônico, dentro do âmbito da comunidade escolar.

O professor de História, Doval Brito, explica que esse é um projeto que objetiva efetivar a Lei 10.639, a qual dispõe sobre a inclusão da história e cultura africana no currículo escolar. "Resolvemos aproveitar o mês de novembro, que é o mês da Consciência Negra, para desenvolver várias atividades sobre a história da África e afrodescendentes, cujo intuito é sensibilizar os alunos sobre o valor da cultura Afro-brasileira e amapaense", disse.

A programação está sendo desenvolvida por meio de músicas, filmes, produção de cartilha sobre a criminalização do preconceito e painéis das personalidades negras em nível local, nacional e internacional. Nas oficinas, os alunos conhecem sobre o marabaixo, a Afro-religiosidade e a importância e a reflexão do dia 20 de novembro no calendário brasileiro.

A inciativa está sendo realizada em parceria com a Secretaria Extraordinária de Políticas para os Afrodescendentes (Seafro), Universidade Federal do Amapá (Unifap), as secretarias de Estado da Educação (Seed) e de Comunicação (Secom), além de escolas de Samba e entidades religiosas de matriz afro.

A palestrante Laura Ramos explica que o objetivo da programação é fazer com o que aluno conheça as manifestações culturais. "As nossas manifestações culturais não são valorizadas por falta de conhecimento, e a Seafro, com essa preocupação, já vem desenvolvendo esse mesmo projeto em outras ocasiões", destacou.

A aluna da 5ª serie, Fernanda Silva, disse que projetos dessa natureza ajuda os alunos a conhecer a cultura brasileira. "Com a programação eu passei ter um conhecimento sobre a nossa cultura que antes eu não tinha. Além disso, saber um pouco mais sobre o hip-hop que também faz parte da cultura afro", contou.

A culminância do projeto será no dia 29 de novembro, a partir das 15h, na quadra da escola Barão do Rio Branco, com a exposição de produções teóricas e práticas, além de músicas, danças, dramatizações e a escolha do mais belo aluno negro, e da mais bela aluna negra da instituição de ensino.

Adryany Magalhães/ Seed

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.