Educa

Grande show da Banda Olodum encerra Semana da Consciência Negra

Sucessos que marcam os 35 anos de história da banda baiana Olodum contagiaram o público no último dia de festejos da Semana da Consciência Negra, no Centro de Cultura Negra do Amapá, no bairro do Laguinho. O grupo encerrou a programação e parabenizou o Governo do Amapá pelo incentivo e valorização dados à cultura afrodescendentes.

Antes da banda encerrar as comemorações, a programação contou com a apresentação das candidatas a Musa do Carnaval 2014. Acompanhadas do Rei Momo, Raimundo Tavares, o Sucuriju, as garotas mostraram toda a sua beleza e deram uma prévia de como será a disputa que vai eleger a musa que representará o carnaval amapaense no próximo ano.

Para completar a festa, o grupo amapaense Senzalas animou o público com o melhor da música amazônida. Canções que marcam a trajetória do grupo e expressam a cultura e a tradição afrodescendentes, com ritmos como o marabaixo e o batuque, arrancaram aplausos.

Em seguida, o grupo Faces da Vida também se apresentou com muito hip hop. O estilo musical agradou o público jovem.

Uma homenagem a União dos Negros do Amapá (UNA) também marcou a noite. Diante do bolo, o público foi convidado a cantar os parabéns pelo aniversário de 27 anos de fundação da entidade.

O padre Paulo Conceição abençoou à população e pediu que todos permanecessem unidos em prol do bem. A homenagem também renderam um minuto de silencio pelo falecimento de uma das tradicionais parceiras da UNA e defensora da cultura negra, dona Olarina.

A noite também foi de premiações. Francisco Agenor Nascimento e Regyana Machado Ramos,eleitos o Mais Belo Negro e a Mais Bela Negra do Amapá de 2013, receberam suas premiações.

Para fechar a programação e comemorar o sucesso da Semana da Consciência Negra, a Banda Olodum comandou a festa. O público vibrou com sucessos do bloco afro que surgiu em Salvador, na Bahia, para ressaltar a valorização do movimento negro brasileiro.

Lazinho, um dos vocalistas da banda, diz que participar de mais um evento onde a programação é totalmente voltada à valorização do negro e ao resgate da cultura, é sempre uma honra. “Onde há importância do negro, o Olodum está presente. Há 35 anos, nós e outras entidades atuamos nesse incentivo ao movimento negro, muitas coisas ainda precisam ser mudadas, mas estamos caminhando para isso. Nosso muito obrigado aos organizadores desta belíssima festa” finalizou o músico.

Andreza Sanches/Setur
Fotos: Chico Terra

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.