Educa

Escolas das redes pública e privada ofertarão vacina contra HPV a partir de março

A partir do dia 10 de março a vacina contra o HPV será oferecida gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde/SUS, através das escolas públicas e privadas, para adolescentes do sexo feminino de 11 a 13 anos. A Secretaria de Estado da Educação (Seed), como parceira da iniciativa do Ministério da Saúde (MS), vai mobilizar ações nas instituições de ensino sobre a importância da prevenção.

A meta é vacinar pelo menos 80% do grupo alvo, o que representa 4,16 milhões de meninas. O impacto da vacinação em termos de saúde coletiva se dá pelo alcance de 80% de cobertura vacinal, gerando uma "imunidade coletiva", ou seja, reduzindo a transmissão mesmo entre as pessoas não vacinadas.

O Ministério da Saúde estabeleceu a faixa etária de 11 a 13 anos para 2014, pois a vacina é altamente eficaz nas meninas dessa faixa etária não expostas aos tipos de HPV 6,11,16 e 18, induzindo a produção de anticorpos em quantidade dez vezes maior do que a encontrada em infecção naturalmente adquirida num prazo de dois anos. A época mais favorável para a vacinação é nessa idade, de preferência antes do início sexual, ou seja, antes da exposição ao vírus.

Segundo a titular do Núcleo de Atendimento à Saúde do Educando (Nase), Nilza Soares, no último dia 22 foi realizada uma reunião com os coordenadores de Naes, Unidades de Atenção Básica do município e representantes de escolas públicas e privadas para nivelamento das estratégias de execução da vacina HPV em todo o Estado. "A Seed, através do Núcleo, está recebendo das escolas uma lista contendo o quantitativo de meninas com nome, turma e turno. A ideia é facilitar a localização no ato da vacina do público-alvo," pontuou.

Esquema de aplicação

O esquema adotado pelo MS é o estendido: 1ª dose, 2ª dose seis meses depois e 3ª dose após cinco anos da 1ª dose (0, 6, 60 meses). A via de aplicação da vacina é intramuscular.

A estratégia para sensibilizar os pais e responsáveis sobre a importância da vacinação do HPV recomendada pelo Ministério da Saúde é a adoção de ações educativas, abordando informações sobre o câncer do colo do útero, a importância da vacinação como estratégia de prevenção desse tipo de câncer e os objetivos e resultados esperados com a vacinação. Também devem ser abordadas orientações quanto à necessidade de continuidade do rastreamento da doença e à prevenção de doenças sexualmente transmissíveis.

Ao longo de 2014, além dos pais e responsáveis, os professores, educadores, profissionais de saúde e os próprios adolescentes devem ser envolvidos em atividades de sensibilização e capacitação. A parceria com o Ministério da Educação e secretarias da Federação visa esclarecer os objetivos da vacinação e a sua relevância como medida de saúde pública para a redução da morbimortalidade do câncer uterino.

O MS recomenda a utilização da caderneta de saúde de adolescente nos municípios que a possuem em quantidade suficiente ao número de adolescentes do sexo feminino que serão vacinadas contra HPV.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.