Projeto “Começar de novo” garante oportunidade de trabalho a egressos do sistema penitenciário

Trabalho, qualificação profissional e ressocialização. É neste tripé que o Projeto Começar de Novo, implementado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), e executado pelo Tribunal de Justiça do Amapá, investe para promover a recolocação de egressos do sistema penitenciário no mercado de trabalho e reduzir o índice de reincidência criminal.

O Projeto “Começar de Novo” objetiva efetivar os interessados em empregos dignos e em empresas parceiras do Projeto. Os reeducandos podem ser matriculados nos cursos ofertados pelo SENAI, IFAP, SENAC, CEPAJOB. Além das parcerias com a SEMAST e a SEED.

São fornecidos cursos nas áreas de pintor, pedreiro, auxiliar de pedreiro, assentador de revestimento cerâmico, aplicador de rejunte, eletricista, instalador hidráulico, saneamento, limpeza e conservação.

A servidora Rosecleide Morais Maciel destacou a importância dos acordos de cooperação técnica celebrado entre o Ministério da Educação e Ministério da Justiça, por intermédio do Departamento Penitenciário Nacional, objetivando a oferta de cursos no âmbito da bolsa do programa nacional de acesso ao Ensino Técnico e Emprego-PRONATEC.

“O nosso slogan é: Quem já pagou pelo o que fez merece a chance de começar de novo. Queremos sensibilizar as pessoas, pois o preconceito ainda é muito grande. E apesar dos seus atos, eles têm o direito de se reinserirem na sociedade, e de preferência com uma nova visão e comportamento de vida”, enfatizou a servidora.

No Amapá, o Grupo de Monitoramento e Fiscalização Carcerário, administrado pela Vara de Execuções Penais, que tem como titular a juíza Lívia Simone Oliveira de Freitas Cardoso, atende cerca de 400 internos que prestam serviços aleatórios por conta própria e periodicamente apresentam o relatório de suas ações à Justiça.

Desde que foi lançado em 2011, mais de 500 apenados e egressos foram encaminhados para empregos e cursos de capacitação. Atualmente, são parceiros do Projeto as empresas Direcional Engenharia e Edifica Engenharia e ainda conta com o apoio da Prefeitura de Macapá com o Projeto Liberdade e Cidadania.

Texto: Hugo Reis

Fotos: Rafael Gomes

Assessoria de Comunicação do TJAP

Siga-nos no Twitter: @Tjap_Oficial

Facebook: Tribunal de Justiça do Amapá

YouTube: TJAP Notícias

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.