Educa

Primeira Assembleia da ONU para o Meio Ambiente começa em Nairóbi

A primeira reunião da Assembleia das Nações Unidas para o Meio Ambiente (UNEA), o órgão convocado ao mais alto nível nesta matéria na história da ONU, foi inaugurada nesta segunda-feira em Nairóbi.

Cerca de 1,3 mil delegados -entre ministros, economistas e representantes da sociedade civil de 160 países- participarão do ato de fundação da UNEA durante toda a semana na capital do Quênia, para abordar, como principais assuntos, os objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU e o contrabando de animais.

O diretor-executivo do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), Achim Steiner, presidiu a abertura da Assembleia na sede dessa agência da ONU em Nairóbi.

“Hoje em dia, as 85 pessoas mais ricas do mundo possuem mais do que os 3,5 milhões de pessoas mais pobres. A equidade e o desenvolvimento sustentável definirão como viveremos juntos no futuro”, disse Steiner durante a sessão inaugural.

Perante os delegados também foi anunciado a nomeação do novo presidente da UNEA, a ministra do Meio Ambiente da Mongólia, Oyun Sanjaasuren.

Sanjaasuren substitui o ministro sudanês de Meio ambiente, Hassan Abdelgadir Hilal, que presidia até agora o Conselho de Administração do PNUMA, organismo no qual só estavam representados 58 Estados-membros da ONU e que substitui a UNEA.

A nova Assembleia das Nações Unidas para o Meio Ambiente estará integrada pelos 193 Estados-membros da ONU e aspira se transformar na autoridade mundial em matéria meio ambiental.

Foi a Conferência da ONU sobre Desenvolvimento Sustentável Rio+20, que aconteceu no Rio de Janeiro (Brasil) em 2012, quando foi acordada a transformaçã do PNUMA em um organismo com adesão universal, no qual tivessem representação todos os países-membros das Nações Unidas.

“Este corpo é uma plataforma inovadora para a liderança das políticas globais em matéria meio ambiental”, ressaltou hoje o dirigente sudanês.

A ministra do Meio Ambiente do Quênia, Judi Wakhungu, destacou hoje que um dos principais assuntos que serão abordados durante a assembleia será a adoção de medidas contra o contrabando ilegal de animais, uma praga neste e outros países africanos.

“Os desafios ambientais continuam crescendo em número e complexidade. A necessidade de encontrar soluções é cada vez mais evidente”, alertou a ministra queniana.

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, e o príncipe Albert II de Mônaco participarão previsivelmente da UNEA na quinta-feira e na sexta-feira, respectivamente.

Com o objetivo de situar os assuntos ambientais no centro da agenda global, a UNEA se configurará como uma assembleia subsidiária da Assembleia geral da ONU e se reunirá cada dois anos.

Dois temas centrarão a reunião da UNEA em Nairóbi: o tráfico ilegal e a caça ilegal, e a faceta meio ambiental dos alvos de Desenvolvimento Sustentável, atualmente sob negociação e que devem substituir os oito Objetivos de Desenvolvimento do Milênio fixados pela ONU para reduzir a pobreza à metade em 2015.

Além disso, a reunião de Nairóbi acolherá dois simpósios: um sobre legislação meio ambiental e outro sobre o papel das finanças na chamada “economia verde”.

EFE

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.