“O Centro de Cultura vai tornar o povo do Amapá mais feliz”, afirma Amir Haddad

Considerado um dos mais consagrados artistas do país, o teatrólogo Amir Haddad esteve em Macapá nesta sexta-feira, 19, onde se juntou com técnicos da Agência de Desenvolvimento do Amapá (Adap) para apresentar o projeto que promete irradiar cultura a partir de um dos mais importantes pontos turísticos da capital amapaense.

O ousado plano visa transformar o tradicional Macapá Hotel em um grande Centro Cultural e urbanizar seu entorno com o paisagismo ímpar da renomada arquiteta Rosa Kliass – autora de obras como o Parque do Forte, em Macapá, e o Mangal das Garças, em Belém. A nova paisagem chegará aos principais pontos turísticos localizados na frente da capital: Fortaleza de São José, Trapiche Eliezer Levy, Casa do Artesão e Casa do Índio.

"O local é ideal, o prédio, a região, é um ponto de encontro da população em Macapá, é onde o povo se reúne. O hotel vai ser transformado em um aparelho cultural de acesso público e de integração, pois ele será vinculado a vários outros aparelhos culturais da região", frisou Haddad.

Consultor do projeto executivo – fase que promoveu os debates com os diversos segmentos culturais para a concepção do empreendimento -, o teatrólogo foi enfático durante a apresentação: "O Centro de Cultura Hotel Macapá vai tornar o povo do Amapá mais feliz. Nós elaboramos o projeto dentro de uma concepção que visa mudar profundamente a realidade cultural do povo. Esse projeto foi construído para melhorar a qualidade de vida da população", sublinhou.

Segundo Haddad, o espaço vai possibilitar a integração dos segmentos culturais do Amapá, já que nele estão reservadas salas para espetáculos teatrais, música, artes plásticas, pintura, artesanato, poesia, entre outras linhas culturais.

Esses espaços serão dispostos de acordo com a adequação feita na planta estrutural do novo Centro Cultural, que foi explicada pela arquiteta da Agência, Aneliza Smith. Segundo ela, os dois blocos onde recentemente funcionava a gerência do hotel e os 77 apartamentos serão transformados em camarins, lojas de presentes, cafeteria, livrarias, halls, salas para oficinas, biblioteca, auditório e terraço reativado. O projeto prevê a instalação de palcos e arquibancadas móveis. Um dos destaques é o teatro experimental, que será edificado onde hoje está a desativada lavanderia.

"Faltam muito mais iniciativas pensadas como essa. A sociedade brasileira merece e precisa de projetos como esse. O Amapá está de parabéns", disse Haddad.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.