Rio Branco recebe oficina para inclusão de migrantes no mercado de trabalho

A Organização Internacional para as Migrações (OIM) realizou na terça-feira (18) a segunda capacitação do ano voltada à implementação de políticas para migrantes em situação de vulnerabilidade no mercado de trabalho. Desta vez, a atividade aberta ao público aconteceu em Rio Branco (AC).

O objetivo do evento foi sensibilizar o setor privado para a inserção laboral de pessoas migrantes e refugiadas. Na capital do Acre, também foram dados esclarecimentos sobre a estratégia de interiorização dos venezuelanos e venezuelanas, que os leva voluntariamente de Roraima a outros estados do Brasil visando uma melhor integração socioeconômica na sociedade brasileira.

A Organização Internacional para as Migrações (OIM) realizou na terça-feira (18) a segunda capacitação do ano voltada à implementação de políticas para migrantes em situação de vulnerabilidade no mercado de trabalho. Desta vez, a atividade aberta ao público aconteceu em Rio Branco (AC).

O objetivo do evento foi sensibilizar o setor privado para a inserção laboral de pessoas migrantes e refugiadas. Na capital do Acre, também foram dados esclarecimentos sobre a estratégia de interiorização dos venezuelanos e venezuelanas, que os leva voluntariamente de Roraima a outros estados do Brasil visando uma melhor integração socioeconômica na sociedade brasileira.

O evento também contou com sessões de tira-dúvidas sobre direitos laborais por fiscais do trabalho e depoimentos de empresas e empregados sobre experiências de sucesso.

“Buscamos com essa abordagem combinada entre o apoio direto, o fortalecimento das habilidades dos migrantes e a sensibilização do setor privado e dos parceiros da sociedade civil contribuir para a integração econômica dos migrantes na sociedade brasileira ao longo prazo”, explicou o chefe de missão da OIM no Brasil, Stephane Rostiaux.

O Acre possui atualmente cerca de 2.600 migrantes internacionais, segundo dados da Polícia Federal e tem sido, ao longo dos últimos anos, uma rota importante para milhares de migrantes.

“Dentre as políticas que são de responsabilidade da Secretaria de Estado de Assistência Social, dos Direitos Humanos e de Políticas para as Mulheres (SEASDHM) do Acre está a política de apoio e promoção de direitos de migrantes e refugiados, e diante da crise mundial que assistimos, temos o dever humano e legal de acolher e integrar essas pessoas”, disse a diretora de políticas de direitos humanos da SEASDHM, Francisca Britto.

“A ideia de buscar a importante parceria com a OIM é exatamente essa, abrir caminhos para que essas pessoas possam ter autonomia financeira e um pouco da sua dignidade restaurada.”

Veja também:

Veja as dicas para um carnaval saudável e seguro

PEC propõe que União passe a investir mais em educação básica até 2026

Oficinas para a inserção laboral de migrantes
Inaugurada na capital paulista em dezembro de 2018, a formação realizada pela OIM passou em 2019 por Santa Catarina, Paraná, Rio de Janeiro, Roraima, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Rio Grande do Sul e Pernambuco. Mais de 500 pessoas já participaram da capacitação gratuita.

“No decorrer de 2019, a OIM realizou 14 oficinas em todas as regiões do país. Neste ano, começamos com Minas Gerais, com o objetivo de sensibilizar setor privado para promover o acesso dos migrantes ao mercado de trabalho com uma capacitação direcionada aos empregadores”, afirmou a assistente de projetos da OIM, Carla Lorenzi.

“Ao longo do ano, vamos intensificar nossas atividades de apoio ao governo brasileiro na integração econômica de imigrantes em situação de vulnerabilidade no Brasil”, declarou.

Em Rio Branco, a capacitação é realizada em parceria com a Secretaria de Estado de Assistência Social, dos Direitos Humanos e de Políticas para as Mulheres do Governo do Acre. O apoio financeiro é da Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID).

ONU

Amazônia Brasil Rádio Web ao vivo!

Dê sua opinião, não fique calado!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.