Ouça "Notícias da Amazônia ao vivo!" no Spreaker.

Novo site articula vagas para profissionais de saúde durante pandemia

Plataforma foi elaborada com doações de empresas de tecnologia

Uma nova plataforma articula vagas para profissionais de saúde durante a pandemia do novo coronavírus. Criado pelos ministérios da Economia e da Saúde, em parceria com as empresas de tecnologia Microsoft e Bizapp, o Portal Sine Saúde  facilita o contato entre hospitais, clínicas, laboratórios e Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde e trabalhadores da área.

Segundo o secretário de Políticas Públicas para o Emprego do Ministério da Economia, Fernando de Holanda, a plataforma ajudará a repor, com urgência, profissionais afetados pela covid-19.

“Muitos profissionais têm adoecido. Isso requer substituição, requer mais profissionais trabalhando por causa da crise, então a gente possibilitou esse tipo de alocação. A plataforma visa a facilitar isso”, diz.

Holanda explica que a plataforma não contrata, apenas faz a intermediação entre o gestor que quer contratar e o profissional disposto a trabalhar, na própria cidade ou em outra localidade, durante a crise. Ele esclareceu que podem se cadastrar no site não apenas médicos, mas profissionais de todas as áreas da saúde, como técnicos, enfermeiros, fonoaudiólogos, fisioterapeutas e outros.

Além da área de saúde, a plataforma tem um módulo para que profissionais que podem trabalhar na construção de hospitais de campanha, como eletricistas, engenheiros e bombeiros hidráulicos, possam se cadastrar. Nesse caso, as secretarias locais de Saúde cadastrariam as vagas no site.

Veja também:

Inscrições para Olimpíada de Astronomia e Astronáutica são prorrogadas novamente

PF prende em flagrante empresário com 900m3 de madeira ilegal em Tartarugalzinho/AP

Casos confirmados de Coronavírus ultrapassa 10.500 no Amapá

Filtragem

A plataforma reproduz a dinâmica de algumas redes sociais em que dois usuários dão match, expressão usada quando ocorre interesse mútuo. Isso é possível por causa dos mecanismos de filtragem estabelecidos para os dois lados: contratante e trabalhador.

Primeiramente, os profissionais, de saúde e ligados à construção de hospitais de campanha, cadastram o currículo, especificando a área em que atua, a disponibilidade de horário e a disposição em mudar de cidade. Os gestores de saúde cadastram a instituição, a vaga e o tempo da contratação.

Os dois lados podem filtrar a busca. Os gestores procuram os perfis mais adequados para ocuparem o posto. Os profissionais podem refinar a busca para encontrar a vaga que lhe interessa e candidatar-se em caso de interesse.

Segundo Holanda, a doação das empresas privadas permitiu que a plataforma fosse construída em pouco tempo. Ele pediu que os profissionais e os gestores se cadastrem.

“A gente gostaria de dar publicidade enfatizando que a plataforma só é capaz de atingir o resultado desejado se a gente conseguir mostrar, tanto para os médicos como para os gestores, a importância de entrar nessa plataforma e poder utilizá-la”, concluiu.

EBC

Ouça "Notícias da Amazônia ao vivo!" no Spreaker.

O que você pensa sobre este artigo?

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: