Idec cria plataforma para divulgar iniciativas que comercializam alimentos saudáveis durante a pandemia do Covid-19

Objetivo é apoiar a economia local e aproximar quem produz de quem consome

O Idec (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor) lança nesta quinta-feira (9) a plataforma da Comida de Verdade para que os consumidores possam ter acesso às iniciativas que comercializam alimentos saudáveis e sustentáveis e estejam funcionando durante a pandemia do Covid-19.

A ferramenta tem o objetivo de apoiar a economia local e estimular os circuitos curtos de abastecimento, aproximando quem produz de quem consome. Ao acessá-la, o usuário pode encontrar iniciativas da agricultura familiar, de pequenos produtores e dos sistemas de produção orgânica e agroecológica em todas as regiões do Brasil.

Para Rafael Arantes, analista de regulação do Idec, é importante informar as pessoas que, além dos mercados, existem canais alternativos para o abastecimento que estão funcionando, seja em pontos de venda físicos ou locais, na modalidade de entrega a domicílio.

“A lógica do atual sistema alimentar tem sido incapaz de gerar saúde respeitando os limites do planeta. Essa dinâmica tende a se intensificar ainda mais durante a pandemia. Por isso, é importante refletirmos sobre os padrões de produção e consumo de alimentos”, destaca.

Outra característica da plataforma é que os produtores, ou quem quiser contribuir, podem fazer novos cadastros. Basta acessar este formulário e completar as informações. Após o envio do cadastro, o Idec faz uma análise breve e já deixa a iniciativa visível.

A plataforma da Comida de Verdade é feita de forma colaborativa e com o apoio de diversas organizações parceiras, como ABA (Associação Brasileira de Agroecologia), Aliança Pela Alimentação Adequada e Saudável, ANA (Articulação Nacional de Agroecologia), CEPAGRO (Centro de Estudos e Promoção da Agricultura de Grupo), Conexsus, Consea-RS (Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável do Rio Grande do Sul), Frutas Nativas Rio Grande do Sul, Gepad Agricultura Familiar e Desenvolvimento Rural, GIZ Mercados Verdes e Consumo sustentável, IBO (Instituto Brasil Orgânico), Lacaf (Laboratório de Comercialização da Agricultura Familiar) e Rede de Agroecologia Ecovida entre outras.

O que você pensa sobre este artigo?

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: