AM:Estudantes de Manaus criam prancha de SUP ecológica

Educa

O projeto foi uma atividade escolar que integrou as disciplinas de matemática, física e química

Estudantes do ensino médio de escolas públicas de Manaus(AM) criaram pranchas de Stand Up Paddle (Sup), com garrafas pet e outros produtos recicláveis, como CDs e canos de pvc.
Os praticantes da modalidade esportiva, que lembra osurf, ficam em pé na prancha e costumam remar em mares e rios. Os cientistas juniores, como são chamados, deram uma destinação sustentável a esse material que geralmente é descartado de forma inadequada no meio ambiente.
O professor de química Obenésio Aguiar idealizou a prancha ecológica junto com os alunos. Ele explica que a ideia era desenvolver o projeto integrando as disciplinas de matemática, física e química com foco na sustentabilidade.”Como é um projeto para desenvolver a parte interdisciplinar, nós pegamos um problema: o problema ambiental. Como é química, nós trabalhamos com a PET, que é um processo polimerização dentro da química orgânica. E a partir daí, nós fomos ver soluções para a questão da problemática da cidade de Manaus, coisas que já foram feitas. Nós pesquisamos na internet e eles acharam muito interessante. Porque a gente meio que já induz eles a pensarem como universitários, a resolver problemas”, diz.
Para viabilizar o experimento, os estudantes, cerca de 40, fizeram um mutirão que recolheu mil garrafas PET das ruas e igarapés de Manaus. Com esse material, foi possível construir seis pranchas de SUP, com tamanhos e formatos diferentes, que foram testadas com sucesso no Rio Negro pelos próprios alunos.
O estudante Lucas Tabosa cursa o terceiro ano do ensino médio no Colégio Militar Áurea Pinheiro Braga e fala da experiência de participar do projeto.
“Uma das partes legais do projeto é a conciliação entre a reciclagem e ao mesmo tempo o lazer que isso promove. Porque a gente acaba tirando alguma coisa que polui e transforma num lazer, aproveitando isso”, conta.
A estudante Juliana Cavancanti, da Escola Estadual Homero de Miranda Leão, tem 17 anos, e sonha em cursar engenharia civil. Para ela, a iniciativa vai facilitar a vida acadêmica.

A expectativa dos criadores do projeto é que o experimento com as pranchas ecológicas não fique restrito ao âmbito escolar. Existe a ideia de criar um projeto de aluguel das pranchas ecológicas como forma de gerar renda para os estudantes.

EBC

Amazônia Brasil Rádio Web ao vivo!

Dê sua opinião, não fique calado!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.