Número de mortes por tuberculose no Amazonas aumenta 16,5%

Bianca Paiva

Tuberculose ataca os pulmões. Reprodução

O Amazonas registrou 2.781 casos de tuberculose no ano passado, uma diminuição de 3% em relação a 2015, de acordo com os últimos dados do Sistema de Informação de Mortalidade do Ministério da Saúde. O estado lidera os casos da doença no país. Apesar dessa redução, o número de mortes aumentou 16,5% no mesmo período, passando de 127 para 148, a maioria na capital Manaus.

Segundo a coordenadora estadual do Programa de Controle da Tuberculose da FVS, Fundação de Vigilância Sanitária, Marlucia Garrido, os óbitos preocupam e as causas estão sendo investigadas.

Sonora: “Nós começamos um trabalho na semana passada nos hospitais, com a vinda da equipe o Ministério da Saúde, tentando identificar as causas, se o óbito seria evitável ou não evitável, e que fatores estão contribuindo pra que as pessoas ainda evoluam para um óbito em um momento que não era mais esperado que ocorressem tantos óbitos por tuberculose.”

As investigações ainda são preliminares, mas a coordenadora aponta algumas possíveis causas para o aumento de mortes por tuberculose no Amazonas.

Sonora: “Existem situações em que o médico fez o registro da tuberculose como causa associada ou como causa básica, mas que a pessoa não fez exame e não tinha como confirmar, então vai ficar na dúvida se realmente era tuberculose. Então há a necessidade de sempre reforçar que mesmo que uma radiografia tenha suspeita de tuberculose é preciso fazer exame de escarro. E há muitos casos que a pessoas chega muito grave e não dá tempo de fazer exame. Então fica o alerta pra população que qualquer tosse demorada, precisa ser investigada. Não é pra esperar escarrar sangue pra procurar atendimento.”

Marlucia Garrido ressalta que é importante procurar um médico em caso de tosse com mais de três semanas de duração. A tuberculose tem cura e o tratamento é gratuito.

 

EBC

Deixe uma resposta