País vive epidemia de febre amarela, diz especialista

Presidente de Sociedade Brasileira de Virologia diz que surtos que ocorrem em mais de um lugar se tornam epidemias

O médico e doutor em microbiologia Maurício Nogueira, presidente da Sociedade Brasileira de Virologia, acredita que o Brasil está vivendo mais que um surto, uma epidemia de febre amarela. “Uma epidemia são surtos ocorrendo em mais de um lugar. Temos surto em São Paulo e surto em Minas Gerais”, explica.

Ele afirma que não há motivo para pânico, já que uma estratégia de vacinação nas regiões de risco já foi delineada, mas discorda do programa do governo. “Toda a população deve ser vacinada, mas não precisa vacinar todo mundo neste mês. Não existe mais motivo para não vacinar o Brasil inteiro, pois o vírus circula em todo o país. O único motivo é que não tem vacina para todo mundo”, diz.

O médico ressalta a repercussão na produção de vacinas dos cortes orçamentários nas áreas da saúde e pesquisa. “Houve um subfinanciamento da pesquisa e da saúde no país a agora pagamos o preço disso. Segundo ele, como não se trata de um produto rentável — cada dose custaria menos de 1 dólar — não há interesse de multinacionais.

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), empresa pública que fornece vacinas essenciais para o Ministério da Saúde, é responsável por quase 80% da produção mundial de vacinas contra a febre amarela. “A falta de vacina para a febre amarela é um problema mundial”.

Leia a entrevista a íntegra no site R7

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.