Redução na frota prossegue até regularização do abastecimento de diesel S-10, afirma Setap

O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Amapá (Setap) alertou para o risco de paralisação dos ônibus que operam nas linhas urbanas da capital caso seja levado adiante a determinação da Companhia de Trânsito e Transporte de Macapá para a substituição de diesel S-10 pelo diesel S-500.

Desde o início da greve dos caminhoneiros, o estoque de diesel S-10 chegou ao limite. Ele é utilizado de forma obrigatória nos ônibus por ser menos poluente, conforme determinação da Agência Nacional de Petróleo (ANP), que começou a vigorar em 2014.

Diante desse quadro, dos cerca de 190 ônibus da frota regular da capital, houve a redução de 30% dos veículos nos horários de pico e 50% nos demais horários.

Na segunda-feira, 28, a CTMac emitiu nota onde sugere a substituição do diesel S-10 pelo S-500 para garantir a circulação de 100% da frota. O diesel é inferior ao S-10 e até mais barato (ao contrário da declaração da companhia de trânsito à imprensa) mas não é aceito 60% dos veículos em operação, podendo levar a problemas mecânicos.

“Ao utilizarmos o diesel S-500 nos ônibus eles perdem a garantia de fábrica e prejudica o veículo, principalmente o motor”, alerta Artur Sotão, gestor do Setap.

O sindicato sugeriu que o presidente da CTMac visite as distribuidoras e confira in loco a realidade do abastecimento de combustíveis. O último estoque recebido pelas empresas de ônibus chegou no sábado e a previsão de novo abastecimento é somente na quinta-feira, 31. Até lá será mantida a redução de frota, afirmou o Setap.

Ascom/Setap

Para adquirir o e-book "Fotografia da Amazônia" basta contactar o fotógrafo pelo WhatsApp no (96) 3333-4579. A coletânea está no valor de R$ 30.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: