Perito particular contratado pela família diz que não há sinais externos de tortura no corpo de Adriano da Nóbrega

Resultado não é conclusivo, segundo ele. Polícia Civil e MP também realizaram necropsia no corpo de miliciano morto há 11 dias, na Bahia; órgãos ainda não divulgaram resultado.

Lilian Ribeiro

Perito particular diz que não houve indício exterior de tortura em Adriano da Nóbrega

Um perito particular contratado pela família disse que, a princípio, não há indícios externos de tortura no corpo do miliciano Adriano da Nóbrega. Ele passou por uma nova necropsia na tarde desta quinta-feira (20) no Instituto Médico Legal do Rio (IML).

O perito Talvane de Moraes conversou com a GloboNews na saída do exame, que durou cerca de quatro horas e meia, e disse que a análise não é conclusiva, que material foi coletado para exames laboratoriais.

Veja também:

Projeto seleciona experimentos que serão levados ao espaço

Inflação da construção sobe para 0,35% em fevereiro

Também observou que o corpo estava embalsamado, o que altera as condições para o exame. Na quarta-feira, o G1 apurou que IML do RJ informou à Justiça que corpo do miliciano Adriano estava apodrecendo.

Governador diz que corpo mostrado em vídeo divulgado por Flávio Bolsonaro não é de miliciano
O perito esteve no IML contratado pela família de Adriano. Peritos da Polícia Civil do Rio e do Ministério Público do Rio de Janeiro também realizaram a nova necropsia, pedida pelo Ministério Público da Bahia. Até a última atualização desta reportagem, ambos os órgãos não haviam informado o resultado da necropsia.

Na manhã de terça-feira, o presidente Jair Bolsonaro também tinha pedido a realização de uma perícia independente da morte do miliciano.

Veja mais no G1

Amazônia Brasil Rádio Web ao vivo!

Dê sua opinião, não fique calado!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.