AMAZÔNIA BRASIL RÁDIO WEB

De volta às ruas: residência oficial devolve 107 policiais

A Polícia Militar do Estado do Amapá (PM-AP) reincorporou os policiais devolvidos pelo Gabinete de Segurança Institucional do Governo do Amapá (GSI). A medida põe de volta 107 policiais nas ruas para atuarem no policiamento ostensivo e contribui para devolver também o sentimento de segurança aos amapaenses.

Além de enxugar o efetivo de policiais no gabinete, a PM-AP tem à sua disposição os policiais do GSI para ações de segurança pública, no intuito de potencializar a operacionalidade da PM. O governador do Estado do Amapá, Wadez Góes, já havia anunciado desde eleito, que não moraria na residência oficial, e que empregaria ao máximo esforços para reduzir o consumo dos recursos públicos, incluindo o contingente militar que realizava a guarda do local.

O secretário de Estado da Segurança e Justiça Social, Gastão Calandrini , anunciou essas e outras medidas que ajudarão a sanar os problemas da segurança do Estado na terça-feira, 6. "É palavra de ordem do governador Waldez que, mesmo com as dificuldades encontradas, nós enfrentemos e resolvamos os problemas. Nós sabemos das muitas dificuldades, mas não podemos esmorecer", afirmou o secretário Calandrini.

Confira o diagnóstico e as providências a serem tomadas:

Ciodes
Situação atual:
. O órgão precisa ser atualizado com a tecnologia de segurança pública necessária.
. Serviços de comunicação precário entre as delegacias e viaturas.
. Estatísticas de segurança pública defasadas, inviabilizando qualquer planejamento para a segurança pública.
Ações emergenciais:
. Reforçar a tecnologia usada pelo órgão para atender a população e se comunicar com viaturas e delegacias de polícia.
. Através da atualização tecnológica, produzir estatísticas precisas sobre os índices de violência e ocorrências para suprir os planejamentos das polícias Militar e Civil, Corpo de Bombeiros, serviços de emergência em saúde e Defesa Civil.

Gabinete de Segurança Institucional
Situação Atual:
. Carência de informações a respeito dos servidores e infraestrutura.
. Sucateamento de material, a exemplo da lancha Ananconda, que está sem a menor condição de uso.
Ações emergenciais:
. Devolver à Polícia Militar 107 policiais para serem empregados no policiamento ostensivo.
. Colocar o efetivo do GSI à disposição da Polícia Militar para ações de segurança pública, para potencializar a operacionalidade da PM.
. Categorizar e arquivar as informações do GSI, pondo as informações à disposição dos demais órgãos de segurança.

Politec
Situação atual:
. Estrutura sucateada.
. Das 30 viaturas do órgão, apenas uma está funcionando para atender todas as ocorrências.
. Unidades sucateadas em outros municípios do Estado, a exemplo da unidade de Laranjal do Jari.
. Equipamentos recebidos do Estratégia Nacional de Fronteiras estão parados por falta de insumos para a utilização.
. Laboratório defasado, inviabilizando uma série de exames e procedimentos.
. Apenas 12 médicos em atividade no órgão, sendo que cinco já possuem mais de 70 anos, o que demanda a realização de um concurso público emergencialmente.
Ações emergenciais:
. Estudar a realização de concurso público para o órgão.
. Equipar melhor as unidades fora de Macapá.
. Atualizar os equipamentos da Politec em Macapá.
. Restaurar a frota de viaturas.

Polícia Militar
Situação atual:
. Passivo de R$ 2,5 milhões em contratos de aluguel de viaturas (sete meses atrasados), fornecimento de combustível, venda de equipamentos como armamento e munição para o treinamento dos policiais, entre outros.
. Desoperacionalização da Polícia Militar.
. 2014 obteve o pior índice de roubos dos últimos dez anos.
Ações emergenciais:
. Reincorporar os policiais devolvidos pelo GSI (107 policiais) ao policiamento ostensivo.
. Potencializar os batalhões de área.
. Utilizar todo o efetivo no policiamento ostensivo, inclusive o Batalhão de Operações Especiais.
. Implantar rígido policiamento em praças e demais logradouros públicos até as 23 horas. A partir desse horário, as unidades especializadas entram com o trabalho repressivo, como a atuação do batalhão de trânsito, por exemplo.
. Intensificar a operação Lei Seca aos finais de semana.

Corpo de Bombeiros.
Situação atual:
. Efetivo insuficiente na parte operacional, especialmente agora, no período chuvoso, em que alagamentos são mais passíveis de ocorrer.
. Viaturas de apoio e de combate a incêndios sucateadas.
Ações emergenciais:
. Distribuição do efetivo nas ruas para averiguar possíveis pontos de alagamento.
. Auxiliar na limpeza de canais e desobstrução de bueiros para evitar alagamentos.
. Viabilizar processo licitatório para o reparo das viaturas.

Polícia Civil
Situação atual:
. Delegacias sucateadas.
. Infraestrutura precária das delegacias.
. Unidades de polícia desativadas.
. Índice de latrocínios elevado em 2014.
Ações emergenciais:
. Colocar um delegado de polícia na Unidade de Polícia Comunitária do bairro Araxá.
. Trabalhar a aproximação da Polícia Civil com a população, estimulando a colaboração popular.
. Fortalecer o núcleo de operações de inteligência para dar suporte às delegacias de roubos, homicídios e entorpecentes.
. Reequipar as delegacias de polícia.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: