Cortes na preservação ambiental são novo predador da Amazônia

Seis dias antes do previsto, Benedito de Souza removeu a areia em busca do ninho de tartarugas-da-amazônia que escondeu dos predadores semanas atrás. Estava tão escondido, que demorou a encontrá-lo, e, quando conseguiu, surpreendeu-se com as dezenas de filhotes em debandada.

Durante a seca, o sinuoso rio Purus, ao sul da Amazônia brasileira, recua, deixando em descoberto vastas praias onde milhares de tartarugas desovam a cada ano. Das embarcações são visíveis as pegadas, um rastro que os caçadores aproveitam, o que deixa Benedito obcecado.

“São como meus filhos”, diz, à beira das lágrimas, improvisando um saco com sua camiseta para recolher rapidamente os velozes répteis, os primeiros a nascer na temporada.

Este líder comunitário fez seu primeiro curso ambiental em 2007 e, com outros vizinhos, cuida das margens na reserva protegida Médio Purus durante a desova, entre junho e novembro.

Veja íntegra no Swissinfo

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.