Educa

Tratamento para tabagismo leva qualidade de vida a usuários

O tabagismo é considerado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) a principal causa de morte evitável em todo o mundo. Tentando mudar essa perspectiva, é que acontecem os grupos de tratamento do tabagismo oferecido pela Prefeitura de Macapá. Por meio de intervenções centradas em mudanças de comportamento e com aconselhamento oferecido em consultas e reuniões, os grupos têm conseguido bons avanços na capital.

Procedimento tem duração de um ano e tem como objetivo oferecer orientação, acompanhamento e apoio aos fumantes que decidem largar o vício. O tratamento é coordenado por uma equipe multiprofissional de médico, farmacêutico, assistente social, psicólogo e nutricionista.

Integrante de grupo na Policlínica da Unifap, Maia Silva fazia uso de cigarro há 31 anos e, emocionada, conta que problemas de saúde com seus familiares a fizeram tomar a decisão de largar o cigarro. Hoje, 16 dias sem tabaco, ela comemora os avanços que teve. “Três das minhas irmãs tiveram problemas de saúde, o que me fez tomar a decisão de parar de fumar. Hoje, vejo a melhora na minha respiração, na pele e que foi a melhor decisão para minha vida”.

Os benefícios

São vistos desde o instante da decisão, pois em 20 minutos sem cigarro o usuário tem sua pressão arterial e batimentos cardíacos normalizados. Em 8 horas, os níveis de monóxido de carbono voltam ao normal. Em um dia ocorre a redução de risco de ataque cardíaco, explica a médica Maria Helena Mendonça.

“É normal nessa etapa algumas sensações não agradáveis relacionadas a abstinência. Às vezes, é uma falta de ar que o paciente acha que é relacionado ao ato de parar de fumar. Por isso, deixamos bem claro que são sintomas normais e que a cessação do tabagismo só traz benefícios para a saúde dessas pacientes”, esclarece a médica.

Tratamento 

Desde 2015, quando passou a oferecer o tratamento, a Secretaria Municipal de Saúde já conseguiu com que mais de 800 pessoas concluíssem o processo e abandonassem o uso de cigarros. “O combate ao tabagismo concilia tanto o tratamento psicológico quanto o uso terapêutico de nicotina em pequenas doses, podendo ser feito por meio de adesivos, gomas de mascar ou inaladores, evitando o choque provocado pela abstinência”, pontua a coordenadora de Doenças Crônicas Não Transmissíveis e Tabagismo, Rielly Macedo.

Novos grupos são formados a cada três meses. No primeiro mês, os encontros são feitos semanalmente e, posteriormente, de quinze em quinze dias. Os interessados em participar devem procurar as seguintes UBS’s até o dia 15 de junho, das 8h às 12h e das 14h às 17h: Infraero II, Novo Horizonte, Álvaro Corrêa (São Lázaro), São Pedro (Beirol), Raimundo Hozanan (Muca); Leozildo Fontoura (anexo na Av. Mário Fortunato Barriga, nº 315), Rubim Aronovitch (Santa Inês), Brasil Novo, Policlínica da Unifap, Maruanum e Vila Progresso (Bailique).

Para fazer a inscrição, o usuário deve apresentar documentos pessoais, como RG, cartão do SUS e comprovante de residência.

 

Jamile Moreira

Dê sua opinião, não fique calado!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: