Inscrição para o Prêmio Sesc de Literatura vai até 3 de fevereiro

Podem se inscrever autores iniciantes com obras de romance e conto

A 20ª edição do Prêmio Sesc de Literatura está com inscrições abertas até dia 3 de fevereiro. Podem se inscrever autores iniciantes de todo o país, com obras inéditas nos gêneros romance e conto. A inscrição é gratuita e deve ser feita pela internet, no site do Sesc, onde também está disponível o regulamento da premiação.

A diretora de Programas Sociais do Departamento Nacional do Sesc, Janaina Cunha, destacou em entrevista à Agência Brasil que o prêmio reafirma o lugar do Sesc como um propulsor e descobridor de talentos literários. No ano passado, o prêmio recebeu 1.632 inscrições, sendo 844 no gênero conto e 788 em romance. A expectativa para 2023, é manter o número elevado de inscrições.

“É um número muito relevante que a gente recebe anualmente e chegar a essa vigésima edição com todo o êxito que a gente vem tendo, ao longo dessa jornada, para a gente é um momento especial”, disse a diretora.

Outra característica interessante, não somente do ponto de vista das inscrições, é a regionalização. “O processo é bem democrático. Pessoas de todo o país podem se inscrever e, ao final, os agraciados com o prêmio participam do circuito nacional do Sesc. A gente visita todas as regionais para apresentação desses autores e mediação deles com o público”.

Janaina adiantou que existe interesse em ampliar a premiação para outros gêneros literários, como poesia, por exemplo. Mas, por enquanto, a aposta continuará sendo em romance e conto. “É algo que a gente ainda está avaliando”.

Relatos
Segundo Janaina, o contato dos autores premiados com o público estimula mais pessoas a escreverem por se tratar de um concurso mais aberto, “sem cartas marcadas”.

“É possível acreditar nessa carreira. É possível investir nisso, e há oportunidade de seu trabalho ser reconhecido por especialistas da área. Como é para autores iniciantes, a gente vem recebendo esses relatos. Acredite no seu texto, na força da sua palavra, porque é possível ser lido e ser considerado no circuito profissional”, assegurou Janaina.

Os vencedores têm suas obras publicadas e distribuídas pela editora Record, parceira do Sesc desde a criação do projeto, em 2003. A parceria possibilita a inserção da tiragem mínima de 2,5 mil exemplares na cadeia produtiva do mercado editorial.

Os romances e coletâneas de contos são avaliados por escritores renomados, que selecionam as obras pelo critério da qualidade literária. Os vencedores da 20ª edição do Prêmio Sesc de Literatura serão conhecidos em maio deste ano.

Continuidade
A premiação não teve descontinuidade nem mesmo durante os primeiros anos da pandemia da covid-19. “A constância é um fator importante para a cultura. O prêmio é realizado há 20 anos, de forma continuada. O circuito literário nacional já conta com ele”.

Janaina Cunha destacou ainda que a literatura é uma área muito cara para o Sesc que oferece, em todas as regionais, oficinas de escrita literária, projetos de mediação de leitura, ativação de bibliotecas, articulação da literatura em outras linguagens, como música e artes cênicas, por exemplo. “A gente vem destacando, ao longo do ano, esse poder da palavra no campo das artes. E a nossa culminância é o Prêmio Sesc de Literatura, porque aí a gente consegue revelar e entregar ao mercado dois novos destaques anualmente”.

A relevância do Prêmio Sesc de Literatura também pode ser medida por meio do sucesso dos seus vencedores. Além de serem convidados para outros importantes eventos internacionais, os autores são, com frequência, finalistas ou vencedores de outras premiações importantes. O escritor Rafael Gallo, revelado pelo Prêmio Sesc em 2012, foi o vencedor da última edição do Prêmio Literário José Saramago, informou o Sesc, por meio de sua assessoria de imprensa.

Na edição de 2022, foram premiados o paraense Pedro Augusto Baía, com a coletânea de contos “Corpos benzidos em metal pesado”, e a gaúcha Taiane Santi Martins, com o romance “Mikaia”. A origem dos autores reafirma a característica do prêmio de estímulo à diversidade e sua capacidade de projetar escritores das mais distintas regiões do país. Em 2023, os vencedores circularão por unidades do Sesc em todo o país e poderão dialogar com o público sobre os temas e o processo de criação de seus livros, que foram lançados em novembro de 2022, na programação do Sesc durante a Festa Literária Internacional de Paraty (Flip).

Juliana Leite, Marcos Peres, Luisa Geisler, André de Leones, Franklin Carvalho, Sheyla Smanioto, Tobias Carvalho e Lucia Bettencourt são alguns autores descobertos pelo Prêmio Sesc de Literatura que se consolidaram na literatura nacional, graças ao incentivo da instituição.

EBC

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: