AMAZÔNIA BRASIL RÁDIO WEB

Emergência na Saúde: Sesa resolve deficiências e melhora atendimento a pacientes do PTFD

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) está reorganizando o serviço do Programa de Tratamento Fora de Domicilio (PTFD). O programa está comprometido em virtude de sérios problemas no setor, bem como dividas deixadas pela administração anterior, o que acarretou em atrasos na emissão de passagens, auxilio financeiro e complementação.

Uma divida de R$ 454.560,86 referente ao mês de novembro e dezembro já foi quitada pela atual gestão. Isso garantiu o beneficio para 555 usuários.

A coordenadora do PTFD, Iraciara Pontes, destacou que o Estado está tomando todas as providências para garantir o atendimento aos pacientes. Ela explica que, mesmo com as situações enfrentadas diariamente, o trabalho para regularizar a oferta do programa não sofre interrupção. "A situação caótica que encontramos o PTFD afetou vários aspectos do funcionamento do serviço aos usuários", observou.

Segundo Iraciara Pontes, alguns casos deixam de ser assistidos, devido muitos pacientes ou acompanhantes não apresentarem o laudo que comprova a continuidade do tratamento. Esse documento deve ser enviando mensalmente e é uma exigência com base na legislação do Sistema Único de Saúde (SUS).

"A principio, quando o paciente viaja, ele recebe um valor fixo de R$ 396,00, assim como o acompanhante também recebe esse mesmo montante, que é o valor de deslocamento, posteriormente eles recebem uma diferença que é a complementação financeira, essa garantia beneficia o paciente e o acompanhante e isso ocorre de acordo com envio do laudo, para que comprove a longa permanecia do tratamento fora do Estado", esclareceu Iraciara Pontes.

O secretário de Estado da Saúde interino, Fernando Nascimento, ratificou o esforço que a Sesa tem feito para que os problemas do PTFD sejam amenizados. "Nós sabemos que toda a saúde precisa de atenção, mas o PTFD acaba tendo uma prioridade, porque são pacientes que precisam sair do Estado para se tratar. Também existem aqueles que estão fora de Macapá e precisam voltar, pois foram deixados à própria sorte", disse o secretário.

Fernando salientou que a nova gestão tem se empenhado em resolver essas deficiências, em virtude do avanço com relação ao pagamento atrasado dos usuários, assim como o fornecimento de passagem que já se normalizou. Ele ressalta que, mesmo com uma demanda represada bastante expressiva, na medida do possível, todos os pacientes estão sendo atendidos.

Desde janeiro de 2015, 609 pacientes estão usando o beneficio do PTFD. Além disso, 597 bilhetes aéreos foram emitidos, o que gerou uma despesa de R$ 471.349,86. Diariamente cerca de 150 pessoas procuram pelos serviços do programa.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: