AMAZÔNIA BRASIL RÁDIO WEB

Randolfe denuncia caos e omissão na saúde pública no Amapá

Não é de hoje que a saúde pública do Amapá ganha a mídia nacional e sempre de forma negativa. Na quarta-feira (14), o senador Randolfe Rodrigues (REDE), foi à tribuna do Senado Federal para lamentar, mais uma vez, o fato de o estado ser destaque num programa de rede nacional. Logo no começo do pronunciamento o senador destacou reportagem feita pelo programa CQC – Custe o Custar”, exibido no último dia 21 de setembro pela TV Bandeirantes “O programa retratou a penosa situação em que nos encontramos” discursou.

“Uma mãe amapaense não pôde enterrar o corpo de seu filho, morto nos primeiros dias de vida no Hospital da Mulher Mãe Luzia, por terem incinerado o corpo da criança e segundo a secretaria de Saúde do Amapá, “por engano”.” disse Randolfe relembrando a reportagem

Pesquisa recente, divulgada pela revista Exame no dia 12 de março deste ano, com dados do IBGE e do IDB-Datasus, evidencia o quadro: a cada mil bebês nascidos vivos no Brasil, 15 morrem antes de completar 12 meses de vida. No Amapá, o número é ainda pior e sobe para 24 mortos a cada mil nascidos. Ou seja: a taxa de mortalidade infantil do Amapá é 60% maior do que a constatada no restante do País.

De acordo com dados das Nações Unidas, Cuba tem uma taxa de 5,1 mortos por cada mil nascidos vivos, a Costa Rica tem índice de 9,8 e o Sri Lanka, 12,4. O Amapá, está no antepenúltimo lugar do ranking nacional. Ocupa a 25ª posição entre os 27 Estados brasileiros, na frente apenas dos vergonhosos índices de Alagoas e Maranhão, os campeões da mortalidade infantil.

O estado também amarga uma posição ainda pior no que se refere à quantidade de médicos por habitantes “Estamos na penúltima colocação, à frente apenas do Maranhão” detalhou Randolfe. Enquanto no Distrito Federal existem 3,61 médicos a cada mil habitantes, no Amapá esse número não chega a um — Um único médico. O Amapá tem 0,75 médico a cada mil habitantes. Menos que UM médico.

O senador relatou a quantidade de leitos de hospital. O Amapá conta com apenas 1,6 leitos a cada mil habitantes, carregando a vergonhosa lanterna do ranking nacional, o pior estado brasileiro em quantidade de leitos.

Randolfe se referiu ao governo do estado ao dizer que “vem sendo negligente, como foi demonstrado no caso do corpo incinerado “por engano”, um crime contra uma família que já sofria a dor de ter perdido precocemente o seu mais novo integrante.

Em meio a crise, o Ministério da Saúde, em ação divulgada no dia 22 de setembro deste ano, destinou R$96 milhões para custeio das ações de Média e Alta Complexidade em 20 Estados brasileiros. O Amapá, último colocado do país em quantidade de leitos por habitantes, não foi contemplado.

Ao final do discurso o parlamentar informou que protocolizou requerimento ao Ministro da Saúde, Marcelo Castro mostrando toda a situação da saúde pública amapaense.

Escute no link áudio: http://www12.senado.gov.br/radio/1/plenario/randolfe-comenta-pesquisa-sobre-a-situacao-da-saude-no-brasil

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: