História de superação: UMA NOVA FORMA DE 'VER' E FAZER NOTÍCIA

De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), existem no Brasil mais de 6,5 milhões de pessoas com deficiência visual, sendo 582 mil cegas e seis milhões com baixa visão.

O empresário e jornalista João Batista da Silva faz parte desses números, vivendo os desafios impostos pela cegueira mas também buscando soluções para melhorar o acesso dele e de outros deficientes visuais à notícia.

Há três anos João teve a vida transformada pela Diabetes. A evolução da doença o levou a um quadro de cegueira irreversível – e de uma hora para outra o mundo dele já não era mais o mesmo. Com um portal de notícias recém lançado e prestígio entre os comunicadores de Rondônia, onde mora, João saiu de cena e teve que reaprender a ver o mundo, dessa vez sem a ajuda dos olhos.

Com o auxílio da tecnologia, ele continuou sua história com a notícia. Adaptando o conceito de “usabilidade” na comunicação – que foi tema de seu trabalho de conclusão de curso em jornalismo – ele criou o recurso “Ler com acessibilidade”, uma ferramenta que oferece ao internauta cego um conteúdo eletrônico de forma clara, “sem tropeços” – como costuma definir.

Para João Batista, o conteúdo oferecido pelos jornais eletrônicos e demais sites de viés informativo, mesmo àqueles que tem adaptação para pessoas com deficiência visual e cegueira, não estão plenamente adequadas às necessidades desse público. “Nossa compreensão da notícia se dá por meio do som e hoje a formatação da leitura eletrônica ainda oferece barreiras”, avalia.

Para mudar essa realidade ele começou adaptando seu próprio portal, o ‘Notícia Na Hora’ (www.noticianahora.com.br), que recebeu uma versão sob medida para cegos, o NNH (para acessar digite www.nnh.com.br). Hoje, tanto o portal Alerta Rondônia (alertarondonia.com.br) quanto o site da Associação Rondonienses de Jornais Eletrônicos (arjore.com.br) já usam o sistema “Ler com acessibilidade”, criado por ele. O sistema já tem sido, inclusive, indicado por entidades que lutam pela inclusão dos deficientes visuais.

Segundo João, o número de acessos em seu portal tem crescido bastante. “Isso mostra que existe uma demanda reprimida que, independente da condição física, quer participar ativamente da sociedade”.

Agora ele procura parcerias com outros portais de notícias e empresários para ampliar o acesso efetivo dos portadores de deficiência visual e cegueira nos sites de notícias. “Somos clientes potenciais, basta que o nosso acesso seja facilitado”, ressalta.

Sua próxima meta? Desenvolver ´conteúdos patrocinados´ para cegos usuários de jornais eletrônicos – uma espécie de anúncio publicitário.

João, que é natural de Santa Cecília do Pavão (Paraná), começou a trabalhar aos 16 anos em rádio e fazia locução no terminal rodoviário de Londrina, divulgando discos e fazendo a distribuição da Folha de São Paulo. Aos 22 anos mudou para Rondônia, onde começou a trabalhar no ramo de comunicação visual. A partir de 2010 dedicou-se ao jornalismo on-line. Seu portal, Notícias Na Hora, criado em 2007, foi o primeiro site a ter editorias estaduais, conceito que, segundo ele, depois veio a ser aplicado no G1 – que é um dos maiores portais de notícias do Brasil. Também foi o primeiro site a oferecer classificados gratuito na região norte e a contratar conteúdo das agências Reuters, Folhapress e Nordeste.

Agora, ele faz das limitações uma oportunidade para melhorar o acesso dos cegos à notícia.

E, assim, a cada novo passo esse empresário nos mostra que ser visionário é algo muito superior a capacidade de ver o ambiente que nos cerca.

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.