Mercado Central: patrimônio histórico de Macapá será revitalizado

Um dos mais belos cartões postais de Macapá será revitalizado e ficará com uma aparência mais moderna, mas sem perder suas características. Na manhã desta quarta-feira, 23, o prefeito Clécio Luís lançou a obra do Mercado Central, que custará R$ 2.603.610,09, oriundos de emenda parlamentar do senador Randolfe Rodrigues. Na solenidade, participaram o deputado estadual Paulo Lemos e personalidades que trabalham há mais de 50 anos no local.

A presidente da Associação Amigos do Mercado Central, Nazaré Pampílio, destacou que por muito tempo eles foram esquecidos. “Agradecemos a prefeitura por cuidar do mercado. Para muitos, é um patrimônio, mas para nós, empreendedores, é de onde tiramos nosso sustento todos os dias”. Após o término das obras, o local contará com um mezanino, palco para apresentações, sala de administração, parte elétrica totalmente nova, boxes reformados, telhado termoacústico, pintura, espaços reorganizados, banheiros reformados e um banheiro com acessibilidade para pessoas com deficiência.

O senador Randolfe Rodrigues destacou que a obra não é apenas uma estrutura em si, pois tem um valor histórico inestimável. “O mercado é um riquíssimo patrimônio para o povo do Amapá, uma parte importante da história. É um lugar que aglutinou e aglutina uma riquíssima diversidade de identidades amapaenses”. O prédio conta com 52 boxes, com atividades voltadas para o segmento de alimentação. Esses empreendedores foram alocados na área extensa para não prejudicar suas atividades durante o período de execução da obra, que tem previsão de entrega em até seis meses.

Clécio Luís destacou que o Mercado Central foi construído há 63 anos, quando o governador ainda era Janary Gentil Nunes, e naquela época ele cumpria o papel de centro comercial que, com o passar do tempo, foi se diversificando. “Ele foi o nosso primeiro shopping, onde começaram a se juntar vários tipos de empreendimento, serviços e lojas que deram vida a esse mercado. Ainda hoje encontramos sapateiro, venda de temperos, restaurante, farinha… muitas pessoas são fiéis a esse local há mais de 50 anos”.

A revitalização da parte interna do prédio fará com que o local entre em definitivo na rota de pontos turísticos da cidade, pois assim como em outras capitais que têm seus mercados com vendas de alimentos e iguarias preparados para receber turistas do mundo todo, em Macapá não será diferente.

“Revitalizar o mercado, respeitando a sua história e a sua importância turística, cultural e econômica vem apenas reforçar o papel desse monumento. Essas pessoas que aqui trabalham mantiveram o mercado vivo durante muito tempo e, por isso, tomamos a decisão de mesmo durante a obra não dar nenhum prejuízo a eles. Foi por isso que foram realocados para essa área externa. Quando retornarem para a parte interna, o ambiente estará muito melhor e mais valorizado e vocacionado para o novo momento que o mercado passará a ter”, finalizou o prefeito.

Adryany Magalhães/Asscom PMM

Fotos: Max Renê

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.