Correnteza dificulta buscas por crianças desaparecidas após naufrágio no Amazonas

Duas crianças ainda não foram encontradas; ao todo, 21 pessoas estavam na embarcação que afundou na frente do porto de Nova Olinda do Norte

Naufrágio ocorreu nas proximidades do porto de Nova Olinda do Norte. Foto: Marilene Silva/Rede Amazônica

O Corpo de Bombeiros informou que a baixa visibilidade e a correnteza forte do Rio Madeira dificultam os trabalhos de buscas às duas crianças que desapareceram durante um naufrágio ocorrido no município de Nova Olinda do Norte, no interior do Amazonas, na quinta-feira (9). As informações são do G1 Amazonas.

De acordo com o soldado Emerson Freitas, um dos mergulhadores da operação, já são 72 horas e mais de 1 quilômetro submerso de área vasculhada, com profundidade de até 25 metros. “A varredura na área do acidente já foi concluída. Amanhã [domingo, 12] as ações iniciam às 7 horas, e a estratégia é vasculhar uma área onde foi encontrado um pertence de uma das crianças, a 150 metros do local do acidente”, informou a corporação.

De acordo com a assessoria de imprensa do Corpo de Bombeiros, quatro mergulhadores procuram pelos dois irmãos na orla do município a 135 km de Manaus. A Defesa Civil auxilia a corporação.

Naufrágio

As buscas iniciaram após o naufrágio ocorrido na tarde de quinta-feira (9). Ao todo, 21 pessoas estavam na embarcação de transporte de passageiros que afundou na frente do porto de Nova Olinda do Norte. Segundo testemunhas, a lancha que afundou partiu da cidade de Autazes, distante 108 km da capital, para o município de Borba, a 151 km de Manaus. A embarcação fez uma parada no porto para pegar mais passageiros.

De acordo com a Defesa Civil, há indícios de que o motor da embarcação teve pane. A correnteza do Rio Madeira levou a lancha para debaixo da balsa do Terminal Hidroviário. Segundo informações da Marinha, uma equipe da Inspeção Naval foi deslocada para apurar as informações recebidas e dar apoio necessário.

“O Comando autorizou, ainda, o deslocamento da aeronave de serviço do 3º Esquadrão de Helicópteros de Emprego Geral com uma equipe médica embarcada para o esclarecimento da área, tendo em vista que o município fica distante de Manaus cerca de 120 milhas náuticas”, cita em nota. Ao todo, as 19 vítimas foram resgatadas e levadas para o Hospital Dr. Galo Manoel Ibanez.

Depoimento

O condutor da foi liberado após prestar depoimento na sexta-feira (10). O homem, de 24 anos, tinha sido chamado para dar esclarecimentos sobre o ocorrido. A Polícia não divulgou detalhes do depoimento. Segundo o diretor do Departamento de Polícia do Interior (DPI), Mariolino Brito, o condutor ainda deverá apresentar documentos da embarcação. A Marinha informou que deve apurar irregularidades encontradas na documentação da lancha.

 

Portal Amazonia

Deixe uma resposta