img#wpstats{display:none}

Polícia acredita que jovem que sumiu no Acre fez jogada de marketing

A Polícia Civil do Acre encontrou contratos assinados na casa de dois amigos de Bruno Borges, o jovem que sumiu no Acre no dia 27 de março. Os contratos destinavam a renda da venda de 14 livros assinados por Bruno aos amigos. O TecMundo, anteriormente, adiantou a informação de hackers que estavam descodificando as mensagens deixados pelo jovem, e você pode refrescar a memória entrando neste link.
De acordo com o G1, o delegado Alcino Júnior cumpriu um mandado de busca e apreensão na casa de Marcelo Ferreira, um dos amigos de Bruno. Por lá que a Polícia encontrou contratos destinando parte da renda de vendas para amigos (Ferreira, Mário Gaiote e um primo chamado Eduardo Borges). Ao site, Júnior comentou que Ferreira omitiu essa informação anteriormente, o que o levou a prisão.

“Ele (Marcelo Ferreira) mentiu e omitiu informações na primeira vez que foi ouvido a respeito do caso do desaparecimento do Bruno. Inclusive, ele foi responsável por retirar a cama e o rack do quarto do Bruno. Ele foi conduzido até a delegacia para ser ouvido novamente, mas, no momento, ele está preso”, disse Alcino Júnior. Ferreira foi solto na tarde desta quinta-feira (01).

 

Veja mais em TecMundo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: