Vacinação antirrábica: prefeitura disponibilizará 49 postos fixos nos bairros da cidade

O Município de Macapá se prepara para dar início a mais uma Campanha de Vacinação Antirrábica, que acontecerá no dia 25 de novembro. A ação ocorrerá somente neste dia e é específica para cães e gatos a partir de dois meses de idade. Para esse dia, a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) disponibilizará 49 postos fixos espalhados nos bairros da capital, que funcionarão das 8h às 17h.

A Coordenação de Zoonoses de Macapá tem a meta de imunizar durante todo o ano 55.857 animais e para o dia D de vacinação (25 de novembro) pretende vacinar 35 mil. O objetivo é manter o controle da raiva transmitida por animais domésticos. O coordenador de Zoonoses, Fábio Mourão, destaca a importância da prevenção da raiva e proteção destes animais. Tudo isso aliado ao trabalho realizado pelo Canil Municipal tem mantido a cidade de Macapá livre de casos de raiva. “Manter o controle da doença só é possível porque a população tem participado e abraçado a campanha com a gente. Por isso, é importante que os donos continuem levando seus animais para a vacinação”, orienta Fábio Mourão.

A vacina antirrábica

 

É a forma mais eficaz de proteger os animais contra a raiva. A única contraindicação é para animais doentes, que não podem receber a vacina. Como toda medicação pode apresentar algumas reações, as principais causadas pelas vacinas são febre alta, falta de apetite, o animal fica muito quieto, aparenta tristeza e pode haver também queda de pelos no local onde a substância foi aplicada. O sintoma mais comum é dor no local da aplicação. Os donos devem ficar atentos aos sinais apresentados pelo pet e, caso necessário, buscar orientação especializada.

A raiva

É uma doença infecciosa que afeta os mamíferos, causada por um vírus que se instala e se multiplica primeiro nos nervos periféricos e depois no sistema nervoso central. A transmissão dá-se do animal infectado para o sadio por meio do contato da saliva por mordedura, lambida em feridas abertas, mucosas ou arranhões. Nas áreas urbanas têm como principal agente transmissor o cão, seguido pelo gato e que pode ser transmitida ao homem.

Jamile Moreira

Assessora de comunicação/Semsa

Contato: 99135-6508

Fotos: Arquivo Semsa

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.