Ouça "Notícias da Amazônia ao vivo!" no Spreaker.

Cadeia produtiva do pescado no Pará é tema de seminário

Para discutir as perspectivas do setor pesqueiro começou, nesta quarta-feira (13), o I Seminário de Desenvolvimento da Pesca e Aquicultura do Estado do Pará, no Hangar Convenções e Feiras da Amazônia, em Belém. O evento é organizado e realizado pelo Movimento de Entidades da Pesca em parceria com a Assembleia Legislativa do Estado do Pará (Alepa) e que também tem o apoio do Governo do Estado.

O secretário de Estado de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca do Pará, Giovanni Queiroz, destaca que o Pará possui o maior potencial de produção do pescado, tanto na pesca artesanal, quanto na industrial ou de peixes ornamentais. “Temos muito que apreender nesta área e um seminário como este serve para socializar e dividir informações para alavancarmos o setor, não só para gerar alimentos, mas riquezas para as famílias que produzem esse alimento”, considerou.

Para o deputado e presidente da Alepa, Márcio Miranda, o seminário surgiu do diálogo do parlamento, executivos e representantes do setor pesqueiro para criar mecanismos de autoconhecimento do setor no Estado. “Precisamos conhecer o nosso potencial, tentar identificar quais são os nossos gargalos, procurar descobrir qual o melhor caminho para avançar nesta produção e conhecer o que produzimos”, afirmou.

O presidente da Associação dos Armadores de Pesca dos Estados do Pará e Amapá, Claudio Botelho, destaca que o seminário traz, além do conhecimento do setor, a unificação e a regularização dos diferentes segmentos que o compõe. “Nós precisamos ter políticas concretas de desenvolvimento. O Governo precisa dos dados e nós precisamos aparecer tanto no cenário local quanto nacional como um dos maiores produtores de pescado do Brasil e do mundo”, destacou.

Seminário – Durante os dois dias estão sendo esperados cerca de mil participantes. São mais de 900 inscritos de 80 municípios paraenses de todas as regiões. Este é o primeiro grande seminário que a categoria realiza no Pará. A programação terá mesas de debates, apresentação de experiências na área pesqueira e palestras.

Assuntos como o Registro Geral de Atividade Pesqueira – RGP (Carteira profissional de pescador), e a situação dos registros cancelados e a suspensão também serão debatidos na programação pelo Secretario Nacional de Aquicultura e Pesca do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), Dayvson Franklin de Souza.

A abertura oficial contou com representantes de diversas instituições como Alepa, Governo do Estado do Pará, Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme), Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap), Movimento de Entidades da Pesca,  Presidentes de Associações de Municípios, dentre outros.

No seminário será apresentada a Carta de Intenções ao Governo do Estado e aos líderes de entidades do setor pesqueiro, contendo as principais demandas do seguimento da pesca e aquicultura; o cronograma dos seminários por bacias hidrográficas do Estado e requerimento junto à Comissão de Meio Ambiente da Câmara dos Deputados.

Pará 2030 – A cadeia produtiva da pesca tem lugar de destaque dentro das estratégias do Governo do Estado para o desenvolvimento sustentável até a década de 30. Para incentivar a aquicultura e a verticalização do pescado no Estado, o programa Pará 2030 prevê iniciativas sustentáveis como  a atração para a verticalização, regularização e licenciamento ambiental, desenvolvimento de novos mercados, formação e capacitação, pesquisa e desenvolvimento além da liberação de créditos para as organizações sociais produtivas.

Por Márcio Flexa

Ouça "Notícias da Amazônia ao vivo!" no Spreaker.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: