“Hospital de Barretos no Amapá já é uma realidade”, diz o presidente da Comissão de Direitos Humanos da Alap

Para dar sequência às negociações visando a implantação de uma unidade de prevenção e diagnóstico do Hospital do Amor (antigo Hospital do Câncer de Barretos) em Macapá, os deputados estaduais Jaci Amanajás (PV), presidente da Comissão Permanente de Direitos Humanos e vice-presidente da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa do Amapá (Alap); Jory Oeiras (PRB), membro da Comissão de Saúde e o deputado federal Marcos Reátegui (PSD/AP), além do assessor institucional da Alap em Brasília, Elpídio Amanjás e técnicas da Secretaria das Comissões Permanentes, realizaram visitas na manhã desta quinta-feira (14) à direção daquele hospital e conheceram as instalações de várias unidades da instituição.

A comitiva foi recepcionada pelo diretor Administrativo e Financeiro da instituição, Boian Petrov, que, além de entregar aos parlamentares uma cópia da planta baixa da unidade a ser construída em Macapá, os acompanhou na visita às instalações do Hospital do Amor, ao Hospital Infantil e ao Ircad América Latina, o maior centro de treinamento em cirurgia minimamente invasiva do continente, que possui a mais moderna estrutura para a especialização médica dos países latino-americanos. “Estou muito feliz em poder participar de mais um projeto de expansão deste hospital, que levará alento e esperança aos amapaenses portadores de câncer e aos seus familiares, principalmente, pelo fato de não necessitarem mais se deslocar de sua cidade até Barretos para o tratamento”, afirmou.

O deputado Jaci Amanjas lembrou o tempo que vem lutando para concretizar o projeto, o papel dos parceiros e a importância da unidade no estado. “Faz cinco anos que aqui estivemos, juntamente com o então deputado Manoel Brasil e com o saudoso deputado Ocival Gato, para as primeiras tratativas. Hoje, vemos se concretizar um sonho. O Governo do Estado, em contrapartida, já está preparando a área e é muito importante também o esforço do deputado federal Marcos Reátegui e de toda a bancada federal do Amapá, que se mobilizou e conseguiu os recursos necessários para a construção do prédio. A instalação da Unacom (Unidade de Alta Complexidade no Tratamento do Câncer), do Governo do Estado, a ser instalada próxima ao hospital, complementará o serviço. Teremos um hospital para prevenção, outro para cura”, enfatizou.

Para o deputado Jory Oeiras, a unidade do Hospital de Barretos no Amapá é a renovação da esperança de quem precisa de tratamento contra o câncer. “Estamos conhecendo um dos maiores hospitais do mundo no tratamento do câncer. Ter no Amapá uma unidade de diagnóstico desse nível traz a esperança para aqueles que precisam de tratamento. Temos que reconhecer a importância do deputado Marcos Reátegui nesse processo. Meus profundos agradecimentos também a todos os servidores deste hospital”, destacou. O deputado federal Marcos Reátegui agradeceu ao HC Barretos e destacou o papel da bancada federal e estadual no processo. “Estou muito feliz com o desenrolar desse projeto. Vejo que estamos levando para o Amapá o conhecimento e a expertise que essa instituição possui. É importante destacar que cada um dos parlamentares amapaenses conseguiu emendas orçamentarias, no valor de R$ 1.900.000,00, que viabilizou o projeto. As estatísticas indicam que 1.700 pacientes já vieram até Barretos e muitos obtiveram cura. Fico feliz, também, com a manifestação e o empenho dos deputados estaduais e do governador do Estado, que se engajaram nesse processo que, ao final, permitirá o diagnóstico e a cura dessa doença, de forma menos traumática”, acentuou.

O diretor-presidente do Hospital, Henrique Prata, falou sobre o prazo para a conclusão da obra e explicou porque o envio das unidades móveis do hospital sofrerá atraso. “Os políticos do Amapá acabam de dar um grande exemplo, para o Brasil, de solidariedade humana, no momento em que, por meio de emendas individuais, alocaram recursos suficientes para a implantação da unidade de diagnóstico e de prevenção e um centro de intervenção de pequena e média complexidade em câncer. As carretas das unidades móveis, previstas para seguir ainda este ano para o Amapá, sofrerão um pequeno atraso em razão dos aparelhos de mamografia terem sido modificados para modelos mais avançados, com previsão de entrarem no país só em janeiro de 2018. Mas a construção da unidade já começou e será concluída até o fim do próximo ano”, anunciou.

Prata encerrou sua fala lembrando que, além da construção, a unidade do Amapá do Hospital do Amor precisará de recursos para custeio. “É importante que a mesma força para investimento ocorra também para o custeio. Dos cerca de R$ 350 mil mensais de custeio, o SUS paga cerca de R$ 100 mil. Haverá um déficit anual de cerca de R$ 3 milhões a R$ 3,5 milhões. Contamos com a consciência de parlamentares, gestores e Governo do Estado. Para que a unidade funcione a contento necessitaremos de recursos financeiros”, conclamou.

O Hospital do Amor, fundado em 1962, na cidade de Barretos, já enfrentou sérias dificuldades. Mas, com ajuda de doações de empresários, fazendeiros, artistas e personalidades públicas, vem conseguindo manter seu funcionamento. Hoje, após 50 ano de sua fundação, com 107 mil metros quadrados de área construída, fazendo cerca de cem mil atendimentos gratuitos por ano, transformou-se em um dos maiores centros de excelência do mundo no diagnóstico, tratamento e pesquisa de câncer, reconhecido e premiado internacionalmente.

AGÊNCIA DE NOTÍCIAS – Alap

Texto e fotos: Paulo Oliveira – Reg. Prof. 572 – DRT/PA

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.