No Pará, 35% das empresas ligadas à agropecuária estão irregulares

Auditorias do Ministério Público Federal avaliaram 38 unidades de 26 empresas da agropecuária paraense, a maioria frigoríficos responsáveis por 74% do abate de gado no estado. Os principais critérios de avaliação foram irregularidades no gado, desmatamento ilegal e a situação dos imóveis-sede de cada unidade.

Cerca de 35% das empresas estão irregulares, principalmente a origem dos animais e a ligação com o desmatamento ilegal. O Ministério Público Federal elaborou recomendações para cada empresa no mercado e conforme os resultados detectados pelas auditorias.

Entre os aprimoramentos sugeridos pelos sistemas de controle das auditorias estão, por exemplo, a necessidade de criação de mecanismos para evitar a compra do gado que nasce em áreas ilegais mas que é revendido por produtores rurais legalizados.

Também foi incluído nas recomendações que as empresas desenvolvam mecanismos eficientes de controle dos fornecedores indiretos.

Ouça o Repórter Nacional – Amazônia desta segunda-feira (12):

Confira também:

– Prazo para instalação de novas bombas de abastecimento de água na Chapada dos Guimarães pode chegar a 90 dias

EBC

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.