‘Voo MH17 foi abatido por míssil russo’, diz investigação

Avião da Malaysia Airlines transportava 298 pessoas em 2014f

Especialistas holandeses que investigam o caso do voo MH17 da Malaysia Airlines derrubado no dia 17 de julho de 2014 com 298 pessoas a bordo revelaram nesta quinta-feira (24) que o míssil lançado para abater o avião pertencia às forças militares russas.

O Boeing 777 fazia o trajeto entre Amsterdã, na Holanda, e Kuala Lampur, na Malásia, quando foi abatido em uma região de conflito na Ucrânia. Todos os tripulantes e passageiros morreram na tragédia.

Leia também: Vítimas de padre pedófilo agradecem convite do Papa

Durante coletiva de imprensa, o investigador holandês Wilbert Paulissen afirmou que a equipe “chegou à conclusão de que o BUK-TELAR que derrubou o voo MH17 veio da 53ª Brigada de Mísseis Antiaéreos com base em Kursk, na Rússia”.

Segundo o holandês, na ocasião, o sistema de mísseis foi levado para o território ucraniano minutos antes do ataque e logo depois retornou a área russa. No entanto, Moscou sempre negou qualquer responsabilidade na queda da aeronave. De acordo com o jornal britânico “The Guardian”, o governo russo está usando seu poder de veto na ONU para impedir que um tribunal internacional determine a culpa sobre a tragédia. Cerca de 100 pessoas suspeitas de terem ligação com o incidente foram investigadas.

Além disso, os holandeses fizeram uma reconstituição do trajeto percorrido pelo míssil com uso de vídeos e fotografias. Em 2016, os investigadores já haviam apontado para esse desfecho, mas até então não tinham provas suficientes. Agora, o grupo disse que possui “evidências legais e convincentes que vão se sustentar em um tribunal”.

Para o coordenador dos investigadores, Fred Westerbeke, o processo de investigação já se encontra na “última etapa”, mas ainda existe muito trabalho para ser feito.

Leia mais no site Notícias ao Minuto

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.