Educa

‘Voo MH17 foi abatido por míssil russo’, diz investigação

Avião da Malaysia Airlines transportava 298 pessoas em 2014f

Especialistas holandeses que investigam o caso do voo MH17 da Malaysia Airlines derrubado no dia 17 de julho de 2014 com 298 pessoas a bordo revelaram nesta quinta-feira (24) que o míssil lançado para abater o avião pertencia às forças militares russas.

O Boeing 777 fazia o trajeto entre Amsterdã, na Holanda, e Kuala Lampur, na Malásia, quando foi abatido em uma região de conflito na Ucrânia. Todos os tripulantes e passageiros morreram na tragédia.

Leia também: Vítimas de padre pedófilo agradecem convite do Papa

Durante coletiva de imprensa, o investigador holandês Wilbert Paulissen afirmou que a equipe “chegou à conclusão de que o BUK-TELAR que derrubou o voo MH17 veio da 53ª Brigada de Mísseis Antiaéreos com base em Kursk, na Rússia”.

Segundo o holandês, na ocasião, o sistema de mísseis foi levado para o território ucraniano minutos antes do ataque e logo depois retornou a área russa. No entanto, Moscou sempre negou qualquer responsabilidade na queda da aeronave. De acordo com o jornal britânico “The Guardian”, o governo russo está usando seu poder de veto na ONU para impedir que um tribunal internacional determine a culpa sobre a tragédia. Cerca de 100 pessoas suspeitas de terem ligação com o incidente foram investigadas.

Além disso, os holandeses fizeram uma reconstituição do trajeto percorrido pelo míssil com uso de vídeos e fotografias. Em 2016, os investigadores já haviam apontado para esse desfecho, mas até então não tinham provas suficientes. Agora, o grupo disse que possui “evidências legais e convincentes que vão se sustentar em um tribunal”.

Para o coordenador dos investigadores, Fred Westerbeke, o processo de investigação já se encontra na “última etapa”, mas ainda existe muito trabalho para ser feito.

Leia mais no site Notícias ao Minuto

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.