Onze formas de tornar a viagem mais barata

No início deste ano, Brian Kelly voou na nova suíte da primeira classe do Airbus A380 da Singapore Airlines, decolando com um copo de Dom Pérignon na mão e mais de 4,5 m² de espaço. O preço de mercado da passagem no voo de Sydney a Singapura era bem mais de US$3 mil. Quanto saiu para Kelly?

“Cento e cinquenta mil pontos e US$72. E embora não tenha sido a melhor troca em termos de valor que consegui, a viagem em si foi inesquecível. Além da poltrona, ainda tinha cama.”

Kelly talvez seja mais conhecido como The Points Guy, o cara que tem um site para ensiná-lo a maximizar seus dólares de viagem. Como fundador e CEO experiente, ele conhece umas coisinhas sobre viagens baratas; assim, pedimos a ele e a outros especialistas algumas dicas sobre como diminuir os custos das viagens, dos voos aos hotéis, além do aluguel de carro.

Obtenha um bom bônus no cartão de crédito

Os blogs e fóruns on-line chamam de “hackeamento de viagem”, “acumulação” ou “rotatividade”, mas a ideia é a mesma: adquirir cartões com bônus bom e programa de devolução cashback para ganhar pontos que podem ser trocados por viagens.

O Chase tornou a prática mais popular quando anunciou seu cartão Sapphire Reserve, em 2016, que incluía um bônus de cadastro de cem mil pontos e várias outras mordomias, incluindo acesso ao lounge de vários aeroportos ao redor do mundo. Meu marido e eu usamos o cartão para reservar voos gratuitos para Tóquio nesse mesmo ano, e embora o bônus tenha sido reduzido pela metade, ainda é possível acumular um número bom de pontos.

“Eu sempre aconselho o viajante a avaliar sua situação financeira e balanço de crédito com cuidado antes de fazer essa opção”, alerta Kelly, acrescentando que a pessoa não deve adquirir um cartão desses a menos que entenda direitinho como a coisa funciona. Ou seja, manter um cartão de crédito ativo e operante acaba sendo custoso em termos de taxas, transformando uma viagem “gratuita” em uma aventura cara. “Se não tiver condições, não tenha um cartão. Você pode se prejudicar muito em longo prazo”, completa ele.

Dito isso, se você o usar de forma responsável, o programa de recompensas pode fazer jus ao nome. “O negócio é pesquisar bem antes de adquirir o cartão, para saber se ele supre as suas necessidades”, ensina Kelly. Se você come fora com frequência, por exemplo, é melhor optar por um com cashback mais alto para gastos com alimentação. Há outros que valem mais a pena pelas despesas com viagens, combustível ou mantimentos.

Alguns fazem parceria com companhias aéreas e hotéis, o que significa que você vai poder usar seus pontos só em empresas/marcas específicas. Em vez disso, Kelly recomenda que encontre um que o permita a transferência dos pontos a outras empresas ou programas de viagem, como o Ultimate Rewards do Chase, o Membership Rewards da American Express ou o ThankYou Points do Citi. “Embora essa opção de dobradinha tenha o seu valor, os pontos transferíveis garantem a flexibilidade da troca direta através de qualquer um dos parceiros”, completa. Muitos também têm uma taxa de manutenção anual que pode variar de US$90 a bem mais de US$400. Por exemplo, os três cartões que possuo custam, em média, US$95 anuais, mas muitos oferecem isenção no primeiro ano e recompensas pelos gastos, o que pode acabar valendo a pena. Leia as condições com atenção para saber o que está e não está incluído.

Reserve voos durante a semana

Como qualquer outro setor, o de preços de passagens aéreas depende da oferta e da procura. São mais baratos quando a demanda é menor, o que geralmente acontece durante a semana, segundo James Filsinger, presidente e CEO do Yapta, site que acompanha os preços de passagens aéreas e hotéis. “Em vez de viajar com a multidão na sexta, sábado, domingo ou segunda, opte pela terça, quarta ou quinta e vai perceber que os preços são bem mais em conta. Ou seja, tente fazer o ‘zigue’ quando todo mundo estiver no ‘zague’ e vai perceber que pode economizar bastante”, ensina.

Pela mesma razão, os voos geralmente são mais baratos no feriado, mas drasticamente mais caros nos dias que o antecedem, ou mesmo depois. Dá para economizar um valor considerável viajando no próprio Dia de Ação de Graças, por exemplo, (que cai em uma quinta) do que na terça-feira da mesma semana. É claro que o inconveniente é viajar no feriado, mas a vantagem é poder evitar a multidão.

Receba alertas de descontos em voos

“Por outro lado, a estipulação de preços de passagens é uma ciência quase impossível de prever. Entre disponibilidade, gerenciamento dos lucros da empresa, data de embarque e outros fatores, há tantos itens que compõem o preço que não dá para se concentrar em um só”, admite Kelly.

Uma solução melhor é encontrar ferramentas que façam todo o trabalho. Entre as que operam on-line, Yapta, Hopper e Google Flights permitem que você procure os voos e depois os acompanhe através da interface do site ou por alertas por e-mail. Se houver flutuação nos preços, receberá uma notificação.

Saiba mais no site Gauchazh

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.