Justiça Eleitoral determina bloqueio de R$ 150 mil da conta de campanha de Alliny Serrão

Candidata ao cargo de deputado estadual recebeu irregularmente o valor doado pelo PR, partido do qual não faz parte

A Justiça Eleitoral determinou, liminarmente, o bloqueio de R$ 150 mil da conta de campanha de Alliny Serrão (DEM), a pedido do Ministério Público Eleitoral (MP Eleitoral). A candidata ao cargo de deputado estadual recebeu irregularmente o valor doado pelo Partido da República (PR), do qual não faz parte, para financiamento de sua campanha. A decisão é da última segunda-feira (17).

Na decisão, a Justiça Eleitoral enfatizou que “causa certa estranheza a doação efetuada pelo Partido da República à candidata Alliny Serrão, que pertence ao Partido Democratas, que sequer formou coligação com o primeiro para as candidaturas aos cargos de deputado estadual pelo Amapá”. A candidata faz parte da Coligação “Compromisso Com a Mudança”, formada pelo DEM, PSDB, Avante e Patri.

Na ação cautelar, o MP Eleitoral defendeu a ilegalidade do ato, pois, segundo a legislação, a campanha eleitoral a ser financiada com recursos do Fundo Partidário é a dos candidatos da própria agremiação partidária que recebeu os recursos públicos. “Desse modo, não existe nenhum liame partidário ou mesmo projeto político eleitoral em comum que justifique a doação realizada de recurso do Fundo Partidário do Partido da República a uma candidata do Democratas, que é uma agremiação concorrente no pleito”, salientou o MP Eleitoral em trecho da ação.

Com a ação, o órgão busca evitar “o uso, no período de campanha eleitoral, de quantia vultosa proveniente de doação de pessoa jurídica e apta a violar a moralidade da campanha eleitoral da requerida, dando-lhe indevida vantagem econômica frente aos demais candidatos concorrentes”.

Captação ilícita de recursos – O MP Eleitoral acrescentou que vai representar contra Alliny Serrão por captação ilícita de recursos para fins eleitorais. Comprovada a conduta, a candidata pode ser punida com a negação do diploma ou, caso eleita, com a cassação dele, se já tiver sido outorgado.

Assessoria de Comunicação Social
Ministério Público Federal no Amapá

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.