Educa

Infelicidade profissional: como deixar a carreira infeliz para trás

Você fez a decisão do trabalho dos seus sonhos. Entrou em uma carreira que prometia te trazer muitos resultados. Sonhou a vida toda com o sucesso profissional. Os anos passaram e você continuou no mesmo lugar. Ganhou uma promoção aqui, uma recompensa ali, mas nada que trouxesse resultados realmente satisfatórios. Tanto esforço, tanto desgaste emocional e poucos resultados. Agora, tudo o que você quer é sair logo desta carreira.

Como eu sei disso? Essa é uma realidade da maior parte da população. Para ter ideia, uma pesquisa do IPOM – Instituto de Pesquisas e Orientação da Mente – feita em 2014 mostra que sete em cada dez profissionais brasileiros pensam em mudar de profissão.

A maior parte da insatisfação profissional acontece pelos mesmos motivos: a falta de valorização e a baixa remuneração. Apesar de um novo modelo de empreendedorismo surgir no Brasil, a maior parte das empresas ainda não sabe como valorizar seus profissionais. Pessoas sem o menor espírito de liderança comandam equipes. Os profissionais são delegados para tarefas que não têm interesse.

Essa é sua realidade atual? Você trabalha por um salário bem abaixo do esperado? Você não tem a menor satisfação em sair de casa pela manhã? O seu chefe não sabe valorizar seu trabalho? Suas habilidades poderiam ser usadas para fazer muito mais? Se sim para essas respostas, essa é infelizmente a sua realidade.

Eu sei que ler isso pode doer, mas essa dor é o empurrão que precisamos para correr atrás de um futuro melhor. Perceber essa realidade sufocante é essencial para buscar uma mudança na sua vida. Não deixe a profissão acabar com a sua vida!
Enquanto você continua nessa carreira que só traz tristezas, você acaba aos poucos com você mesmo. Quantas pessoas conhece que perdeu tudo por uma carreira insatisfatória? Dezenas, ou até centenas. Pense bem! Vale a pena perder tudo para seguir em uma profissão onde não é valorizado?

Continuar em uma profissão que não te traz satisfação é o erro de maior parte das pessoas. Você continua no seu trabalho sem motivação nenhuma. Aos poucos, perde a motivação para aproveitar seus bons momentos, perde motivação para curtir sua família. Até chegar ao ponto que você perde a motivação para sair da cama pela manhã.

Você já pensou como é triste viver uma vida em que se espera ansiosamente pela sexta à tarde e se entristece todo domingo à noite? Viver em função dos finais de semana é ter uma vida medíocre. É isso que quer para você?

Se está lendo este artigo até aqui, eu tenho certeza que não. E sua vida não precisa ser assim. Você pode dar a volta por cima e deixar este trabalho enfadonho, desgastante e inexpressivo.

Como mudei minha carreira e como você pode mudar a sua:
Eu também passei por isso. Tive anos de uma carreira bem-sucedida, porém chegou um momento da carreira que não tinha mais satisfação profissional. Minha vida tinha caído neste momento de estagnação em que precisava buscar novos rumos para seguir em frente.

Foi neste momento em que conheci o coaching. Eu tinha a chance de mudar minha vida para melhor enquanto transformava a vida de muitas outras pessoas. Foi quando eu investi em uma nova formação profissional e encontrei uma área que me fazia despertar todos os dias pela manhã animado para trabalhar. Mas, não pense que foi fácil.
No começo, tive dificuldades para encontrar clientes. Eu não sabia como chegar às pessoas. Precisei investir um dinheiro que não tinha para aprender como fazer isso. E mesmo assim levantava todos os dias da cama com uma satisfação enorme para trabalhar.

Eu sabia que aqueles primeiros passos do meu dia também eram os primeiros passos para os melhores dias da minha vida. Foi assim que investi no coaching e mudei minha trajetória profissional para melhor.

Por tanto, compreenda: enquanto você não entender os malefícios de uma carreira infeliz, você estará se matando por dentro.

Administradores

Dê sua opinião, não fique calado!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: