Jornada de trabalho em pé pode causar riscos à saúde, aponta pesquisa

Educa

Sentir dores nos pés ou pernas ao estar trabalhando é extremamente comum para a população brasileira, seja qual for a profissão. Muitas horas sentado ou em pé pode fazer com que diversos problemas apareçam nos pés, tornozelos e joelhos, fator que favorece a diminuição do rendimento do trabalhador.

Segundo a pesquisa “O trabalho e a relação com os pés, tornozelos e joelhos”, realizada em 2017 pela empresa Pés Sem Dor, especialista em palmilhas ortopédicas, cerca de 65% das pessoas não aguentam mais que três horas em pé sem sentir dores. Já com seis horas ou mais, esse número salta para 90%.

Devido ao uso de sapatos de bico fino, salto alto e calçados que não oferecem o suporte necessário para os pés, a pesquisa aponta que as mulheres sentem mais dores nos membros inferiores do que os homens durante a jornada de trabalho.

“Para cada hora em pé, observa-se uma redução média em ritmo de trabalho de 3,2% para mulheres e 2,6% para homens, ou seja, ao final de uma jornada de trabalho de oito horas em pé ou andando, mulheres estão 25,6% menos produtivas e homens 20,8%”, explica Mateus Martinez, um dos autores da pesquisa e Diretor de Fisioterapia da Pés Sem Dor.

Sentir dores nos pés ou pernas ao estar trabalhando é extremamente comum para a população brasileira, seja qual for a profissão. Muitas horas sentado ou em pé pode fazer com que diversos problemas apareçam nos pés, tornozelos e joelhos, fator que favorece a diminuição do rendimento do trabalhador.

Segundo a pesquisa “O trabalho e a relação com os pés, tornozelos e joelhos”, realizada em 2017 pela empresa Pés Sem Dor, especialista em palmilhas ortopédicas, cerca de 65% das pessoas não aguentam mais que três horas em pé sem sentir dores. Já com seis horas ou mais, esse número salta para 90%.

Devido ao uso de sapatos de bico fino, salto alto e calçados que não oferecem o suporte necessário para os pés, a pesquisa aponta que as mulheres sentem mais dores nos membros inferiores do que os homens durante a jornada de trabalho.

“Para cada hora em pé, observa-se uma redução média em ritmo de trabalho de 3,2% para mulheres e 2,6% para homens, ou seja, ao final de uma jornada de trabalho de oito horas em pé ou andando, mulheres estão 25,6% menos produtivas e homens 20,8%”, explica Mateus Martinez, um dos autores da pesquisa e Diretor de Fisioterapia da Pés Sem Dor.

Exame

Amazônia Brasil Rádio Web ao vivo!

Dê sua opinião, não fique calado!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.