Exposição sobre biodiversidade é uma das atrações no Bioparque da Amazônia

Educa

Quem visita o Bioparque da Amazônia até domingo, 27, poderá ampliar seus conhecimentos com a exposição das Biodiversidades da Amazônia, realizada por acadêmicos da Universidade do Estado do Amapá (Ueap) e Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas do Amapá (Iepa). A exposição está montada no espaço multiuso do parque.

“Neste ambiente, estamos com a exposição de uma parte das coleções biológicas, fruto de pesquisas do Iepa e da universidade. É a oportunidade que a gente tem de fazer ciência, popularizar a ciência, fazer com que as pessoas tenham mais conhecimento, contato com esses animais. É uma forma da gente levar conhecimento e tirar o medo das pessoas”, explicou a diretora técnica Adriane Formigosa.

Fotos: Max Renê

Desde a manhã, jovens, adultos e até famílias inteiras visitaram o espaço, conhecendo as mais variadas espécies da nossa fauna. Uma grande variedade de serpentes, tarântulas, borboletas, mosquitos, dentre outros, fez parte da exposição, que chamou a atenção do público.

O militar Fábio Lourenço, acompanhado da família, falou sobre a reabertura do parque e da importância da exposição para ampliar o conhecimento dos visitantes. “Macapá precisava de um espaço desse, principalmente a região amazônica, para mostrar tanto para a população quanto ao turista a riqueza da nossa Amazônia. Isso é muito importante para a cidade. Acredito que esse espaço deveria ser um local permanente aqui no parque, para que as pessoas não apenas caminhem pelo local, mas que possam conhecer um pouco mais da nossa biodiversidade”.

A população pode conhecer mais de perto, tocar e sentir algumas dessas espécies, como cobras e tarântulas. A jiboia arco-íris foi a atração do local, tanto para os adultos quanto para as crianças, que queriam tocá-la e fazer fotos, tudo com o acompanhamento e supervisão dos biólogos. “Eu fiquei encantada com o espaço, está tudo muito legal. Meu filho então, nem se fala. Adora animais, pegou na tarântula, brincou com a tartaruga e ainda queria fazer foto com a jiboia”, falou a dona de casa Ester Alcântara.

Débora Arraes, bióloga e professora da Ueap, ressaltou que o objetivo do espaço é integrar diferentes instituições, sensibilizando a população quanto à importância da preservação. “Nossa intenção é sensibilizar a população a respeito da importância de manutenção da fauna, seja espaços protegidos, na área urbana, de proteção dessas espécies. Temos hoje em exposição diversas espécies, fruto de pesquisa e trabalhos feitos pela universidade, como anuros, que atuam no controle biológico, de vetores de doenças, mosquitos, as serpentes”.

A exposição teve início na sexta-feira, 25, e segue até domingo, 27.

Karla Marques

Aprecie a boa música da Amazônia

Dê sua opinião, não fique calado!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.