Três sinais de que você pode ter síndrome de burnout

Educa

A condição foi reconhecida pela OMS como uma síndrome ocupacional ‘resultante do estresse crônico no local de trabalho que não foi gerenciado com sucesso’. Como identificar esse problema e o que fazer para melhorar?

Se você dissesse que estava sofrendo de “burnout” no início dos anos 1970, as pessoas pensariam que você estava usando drogas pesadas.

Na época, o termo era usado informalmente para descrever os efeitos colaterais sofridos por quem consume estas substâncias, como um prejuízo às faculdades mentais, por exemplo.

No entanto, quando o psicólogo alemão-americano Herbert Freudenberger reconheceu o problema do esgotamento profissional na cidade de Nova York em 1974, em uma clínica para viciados e pessoas sem-teto, Freudenberger não estava pensando em usuários de drogas.

Os voluntários da clínica também estavam lutando contra um problema: a rotina de trabalho intensa levava muitos a se sentirem desmotivados e emocionalmente esgotados. Embora uma vez tivessem achado seus empregos gratificantes, estavam deprimidos e não davam aos seus pacientes a atenção que mereciam.

Freudenberger definiu essa nova e alarmante condição como um estado de exaustão causado pelo excesso de trabalho prolongado — e pegou emprestado o termo burnout para descrevê-lo.

Hoje, o esgotamento profissional é um fenômeno global. Neste ano, a condição foi reconhecida pela OMS (Organização Mundial da Saúde) como uma síndrome ocupacional “resultante do estresse crônico no local de trabalho que não foi gerenciado com sucesso”.

Segundo a OMS, esse tipo de esgotamento não é uma doença ou condição médica, mas um fator influencia nossa saúde.

Há três elementos principais: sentimentos de exaustão, distanciamento mental do trabalho e pior desempenho profissional.

Mas, ao notar esses sinais, não espere estar totalmente esgotado para fazer algo a respeito — você não aguardaria para tratar qualquer outra doença até ser tarde demais.

Veja mais detalhes no R7R7

Amazônia Brasil Rádio Web ao vivo!

Dê sua opinião, não fique calado!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.