Indicador Antecedente de Emprego da FGV atinge menor nível desde 2008

Índice caiu 42,9 pontos de março para abril

Os dois indicadores do mercado de trabalho da Fundação Getulio Vargas (FGV) apresentaram piora em abril, devido às incertezas provocadas pela pandemia do novo coronavírus (covid-19). O Indicador Antecedente de Emprego (Iaemp), que busca antecipar tendências com base em entrevistas com consumidores e empresários da indústria e dos serviços, caiu 42,9 pontos de março para abril.

Com isso, o indicador recuou para 39,7 pontos, em uma escala de zero a 200. Foi a maior queda mensal e o menor nível do indicador na série histórica da pesquisa, iniciada em 2008.

Veja também:

O Que É Betfair? Conheça 5 Fatores Que Comprovam Sua Confiabilidade!

Um em cada dez domicílios no Brasil joga esgoto na natureza

Amapá tem casos 2.613 confirmados, 4.942 em análise laboratorial, 707 pessoas recuperadas e 72 óbitos

“O resultado do mês registra um aumento do pessimismo em relação ao mercado de trabalho. Os níveis recordes de incerteza tornam empresários e consumidores cautelosos, gerando uma deterioração das expectativas nos próximos meses”, afirma Rodolpho Tobler, economista da FGV.

O outro índice da Fundação Getulio Vargas, o Indicador Coincidente de Desemprego (ICD) subiu 5,9 pontos em abril, para 98,4 pontos. Diferentemente do Iaemp, o ICD é medido em uma escala invertida de zero a 200 pontos, em que o crescimento do indicador significa piora.

EBC

O que você pensa sobre este artigo?

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: