Dia de Combate à Malária nas Américas é marcado por evento em Manaus

O Ministério da Saúde realizou nesse sábado (6), em Manaus, o Dia de Combate à Malária nas Américas. O evento foi marcado por ações de prevenção e controle da doença e contou com a participação do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga. Apesar de estar em tendência de queda, em 2020 foram registrados mais de 145 mil casos de malária em todo o país. E desses, mais de 99% se concentram na Região Amazônica.

A iniciativa teve o objetivo de sensibilizar a população sobre os perigos da malária, além de educar sobre as principais medidas de prevenção, controle e eliminação da doença, como explicou o ministro Marcelo Queiroga: “Como podemos evoluir de maneira sustentável nesse objetivo? Através da educação, por exemplo, das nossas crianças; através do investimento em ciência e tecnologia a propiciar o diagnóstico precoce e as medidas terapêuticas adequadas; também nas ações de vigilância em saúde, para que consigamos reduzir a questão do vetor que transmite a malária. Enfim, nós já temos o diagnóstico desse problema e eu tenho certeza, nós haveremos de controlar a malária”.

A capital Manaus foi escolhida porque só o Estado do Amazonas registrou 58,9 mil casos de malária em 2020. Isso representa 41% dos mais de 143 mil casos autóctones registrados no país, aqueles que a transmissão ocorre no mesmo local. Além disso, Manaus está entre os 37 municípios que mais contribuem com a carga da doença no Brasil.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, a doença continua sendo um problema de saúde pública em 87 países. Dados do World Malaria Report 2020 mostram que em 2019 foram estimados 229 milhões de casos de malária com 736 mil mortes em todo o mundo. Na região das Américas, por exemplo, Brasil, Colômbia e Venezuela são os responsáveis por mais de 86% de todos os casos do território.

*Com informações da Agência Brasil.

Para adquirir o e-book "Fotografia da Amazônia" basta contactar o fotógrafo pelo WhatsApp no (96) 3333-4579. A coletânea está no valor de R$ 30.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: