Empreendimentos ribeirinhos são beneficiados com Laboratório de Marketing Digital

Saber promover a marca e vender produtos e serviços no ambiente digital é essencial para um negócio de sucesso. Pensando nisso, a Fundação Amazônia Sustentável (FAS) realizou o Laboratório de Marketing Digital para o Turismo, neste mês de junho, na comunidade Tumbira, localizada a 64 km de Manaus. O evento foi direcionado para empreendimentos turísticos de comunidades da Amazônia. 

Participaram seis empreendimentos de quatro comunidades: Tumbira, Saracá e Santa Helena do Inglês, localizadas na Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Rio Negro, e a comunidade Três Unidos, na Área de Proteção Ambiental (APA) do Rio Negro. São eles: Pousada do Garrido (Tumbira), Pousada Vista Rio Negro,  Pousada Toca do Tatu (Santa Helena do Inglês), Restaurante Encanto do Saracá (Saracá), Pousada Canto dos Pássaros e Restaurante Sumimi (Três Unidos).

O laboratório é a primeira etapa de uma Jornada de Marketing Digital que ocorrerá com os empreendimentos nos próximos três meses. Durante o treinamento inicial, promovido pela empresa Go Martins, os participantes tiveram uma imersão metodológica nos principais conteúdos relacionados ao marketing digital, como conceitos básicos do marketing, gestão de redes sociais e ferramentas de fotografia e edição de vídeos para melhorar a presença digital dos empreendimentos. 

O objetivo é que os empreendedores consigam se comunicar de forma eficiente com o público, por meio das plataformas digitais, e assim transmitir a experiência do turismo amazônico para os clientes. 

Para o gerente do Programa de Empreendedorismo e Negócios Sustentáveis da Amazônia (Pensa), Wildney Mourão, o laboratório vai acelerar a retomada dos empreendimentos turísticos da Amazônia que sofreram impactos negativos durante a pandemia. 

“Essa retomada exige cada vez mais que os empreendedores consigam ter presença digital nas redes. Os empreendimentos têm um papel fundamental para conseguir conquistar e engajar o coração de quem quer visitar a Amazônia com mais segurança, credibilidade e confiança. Entendemos que as redes sociais são ‘janelas de conexão’, um start para relacionamento com os  turistas. A importância do laboratório é muito relevante, tanto para alcançar essa presença digital como também para os empreendedores terem um aprendizado novo sobre o marketing digital”, afirma. 

De acordo com Wildney, os empreendimentos aprendem a usar as redes sociais como ferramenta de transformação para melhorar a comunicação e a jornada do turista, o que cria maior atratividade de clientes e pode melhorar a renda de quem trabalha com turismo de base comunitária. 

“Isso pode gerar impacto financeiro, econômico e social muito importante para as pessoas que compõem a cadeia de serviços turísticos, pois elas passam a adquirir mais aprendizado, ganham força e presença digital, e promovem transformação positiva para as comunidades que têm no turismo uma atividade principal de renda”, destaca. 

Aprendizados

O treinamento ajudou a participante Gisely Emily, do Restaurante Encanto do Saracá, a melhorar suas habilidades de produção de texto. “Graças à oficina, consegui superar uma dificuldade minha na elaboração dos textos das publicações. Muitas vezes, não sabemos o que colocar na legenda das fotos, por mais simples que elas sejam. Eu entendi que se for feito um texto melhor elaborado, a publicação pode chamar mais atenção e atrair mais clientes”, compartilha.

Para Giovane Garrido, da Pousada do Garrido, a experiência deve ser perpetuada entre as comunidades que vivem do turismo. “O laboratório está nos trazendo a oportunidade de ampliar os nossos conhecimentos e pontos de vista sobre o mundo, além do conhecimento sobre divulgação, engajamento nas redes sociais etc. Acho importante esse processo de acompanhamento e que as práticas não se limitem aos três dias de oficina e também continuemos a estimular os jovens das comunidades a entenderem os conceitos de marketing digital”, diz o jovem. 

Jornada

A segunda etapa da Jornada de Marketing Digital é uma mentoria de três meses, onde os participantes serão acompanhados pelo produtor de conteúdo Felipe Martins, da empresa Go Martins, junto com a equipe da FAS. Toda a comunicação digital dos empreendimentos será avaliada, incluindo a rotina de postagens, processo criativo de construção de conteúdos,  fotografias e vídeos. 

Essa avaliação de performance dos participantes será feita por meio de um processo de gamificação, onde cada semana valerá uma pontuação a partir de critérios como qualidade das fotos, rotina de postagens, engajamento e presença digital. 

No final de setembro, acontece a terceira etapa do projeto, que consiste em um demoday com a apresentação dos resultados da Jornada e a evolução da comunicação digital dos empreendimentos durante a dinâmica de marketing.

Sobre a FAS

Fundada em 2008 e com sede em Manaus/AM, a Fundação Amazônia Sustentável (FAS) é uma organização da sociedade civil e sem fins lucrativos que dissemina e implementa conhecimentos sobre desenvolvimento sustentável, contribuindo para a conservação da Amazônia. A instituição atua com projetos voltados para educação, empreendedorismo, turismo sustentável, inovação, saúde e outras áreas prioritárias. Por meio da valorização da floresta em pé e de sua sociobiodiversidade, a FAS desenvolve trabalhos que promovem a melhoria da qualidade de vida de comunidades ribeirinhas, indígenas e periféricas da Amazônia.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: