Brasil digital: país mostra força em modalidades do esporte online

Nação de dimensões continentais e aficionada por tecnologia, o Brasil é um importante mercado global quando o assunto é entretenimento digital. Razão pela qual, de acordo com a pesquisa anual da Tic Domicílios, aproximadamente 60 milhões das residências brasileiras estão conectadas à internet atualmente, correspondendo a 82% dos domicílios no país.

Com tantas pessoas online, vários segmentos explodiram a nível de popularidade em solo nacional nos últimos anos. Um deles foi o resultado de uma fusão natural entre o esporte e o mundo virtual, conduzindo o país ao posto de grande potência latino-americana nas modalidades esportivas online.

Prova disso são os eSports (esportes eletrônicos) e o poker online, duas modalidades de alcance global na qual o Brasil não só conta com milhões de seguidores e praticantes, como também é referência internacional no cenário competitivo de alto nível.

eSports: uma febre no Brasil

Por meio de franquias e jogos de alto alcance popular, como Fortnite, CS:GO, Rainbow Six, FIFA, LoL e CS:GO, os eSports têm predominado o universo gamer e tecnológico desde a última década no país, incentivando o público a estar cada vez mais conectado em plataformas de streaming especializadas, como a exemplo da Twitch.tv, para acompanhar de perto as competições profissionais.

Segundo dados fornecidos pela Newzoo, empresa de consultoria que é uma das fontes mais confiáveis para análises e insights de eSports, o Brasil conta com o terceiro maior público do segmento do mundo, sendo superado nesse quesito apenas por China e Estados Unidos.

Contudo, é válido ressaltar que boa parte da alta demanda em consumo de esportes eletrônicos no país deve-se ao alto padrão de competitividade das equipes na modalidade, o que de certa forma acaba fomentando o interesse maior dos usuários. Times nacionais como FURIA, Los Grandes, INTZ, PaiN, LOUD e KaBuM! Esports estão entre as principais potências da América Latina.

Poker online: Brasil no topo do mundo

Modalidade de cartas mais praticadas pelos brasileiros, de acordo com a Confederação Brasileira de Texas hold ‘em (CBTH), entidade máxima do segmento no país, o Brasil já conta com mais de 8 milhões de praticantes de poker — entre competidores profissionais e recreativos.

Mas nem sempre foi assim, já que há alguns anos a modalidade era considerada de nicho no país. O cenário começou a se transformar para valer através da expansão do poker online, a partir de meados da década de 2000, permitindo que o jogo atravessasse fronteiras e alcançasse diversos públicos por meio da internet.

Desde então, vários competidores nacionais vêm se destacando na cena online das cartas. Jogadores como Bruno Volkmann, Renan Bruschi, Pablo Silva, Brunno Botteon e Yuri Martins são alguns dos maiores nomes nos últimos anos.

Hoje, não é exagero algum apontar o Brasil como a principal potência de poker online do mundo. Por exemplo, na última edição do World Championship of Online Poker (WCOOP), principal evento da modalidade a nível internacional, o poker online nacional garantiu o primeiro lugar com 57 vitórias na disputa entre países — ficou na frente da Rússia (37 vitórias), Reino Unido (27 vitórias) e Holanda (20 vitórias), respectivamente.

Já o grande destaque individual foi Yuri Martins, que nesta edição conquistou seu sétimo troféu em mundiais. Além disso, ele se tornou o primeiro competidor da história a conquistar três títulos por ano em duas edições consecutivas do WCOOP.

Outro fator que comprova o domínio do poker online brasileiro é o ranking mundial. Segundo a conceituada lista do portal PocketFives, principal forma de mensurar quem são os principais jogadores na atualidade, 49 dos 100 melhores competidores da modalidade são brasileiros.

Futuro dos jogos eletrônicos no país: games em nuvem e o papel do 5G

Quinta geração de redes móveis, a tecnologia 5G promete agregar muito para a indústria de jogos eletrônicos em solo brasileiro nos próximos anos, principalmente no setor de games em nuvem.

Muitos especialistas acreditam que o eventual crescimento dos games em nuvem irá democratizar ainda mais os jogos eletrônicos no país, abrindo portas para novos públicos e uma consequente expansão do mercado.

Porém, como podemos perceber, essa tarefa de um servidor remoto exige conexões de internet rápidas e estáveis. Sendo assim, é justamente aí que entra a relevante contribuição do 5G para o funcionamento em excelência desta tecnologia.

Com uma taxa de dados de 10 Gbps, até 100 vezes mais rápida que o 4G, bem como um nível de latência que se aproxima de zero, a quinta geração de redes móveis faz com que jogos em transmissão remota não apresentem travamentos e quedas de conexão, por exemplo.

Como está o processo de instalação do 5G no Brasil?

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: