Profissionais de TI e design têm oportunidades no Justiça 4.0

Estão abertos seis processos seletivos para profissionais de tecnologia e de design para atuarem no Programa Justiça 4.0. Desenvolvido pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) em parceria com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), o programa desenvolve soluções digitais para ampliar o acesso à Justiça e aprimorar a prestação de serviços no Judiciário.

As oportunidades são para pessoas desenvolvedoras front-end de nível sênior (10 vagas) e pleno (8 vagas), desenvolvedores back-end de nível sênior (8 vagas) e pleno (11 vagas), arquiteto de software (3 vagas) e assistente de design e diagramação (1 vaga). Ao todo, são 41 vagas, todas para atuação remota.

Não há exigência de dedicação exclusiva, mas a pessoa selecionada deverá reservar oito horas diárias em horário comercial para atuar no Programa Justiça 4.0. A contratação será feita na modalidade de National Personnel Services Agreement (NPSA), com salários competitivos, de acordo com o mercado.

OportunidadeVagasPrazo
Desenvolvedor Back-end Pleno11até 16/8
Desenvolvedor Back-end Sênior8até 16/8
Desenvolvedor Front-end Pleno8até 16/8
Desenvolvedor Front-end Sênior10até 18/8
Assistente de Diagramação e Design1até 24/8
Arquiteto de Software3até 25/8

Os currículos serão analisados pelo Pnud, com formação de uma lista curta de pessoas que serão entrevistadas por um painel de especialistas. Devido ao grande número de candidaturas, o Programa entra em contato apenas com as pessoas pré-selecionadas (lista curta).

Desenvolvedor Back-end Pleno

As 11 pessoas que vão atuar nessa função serão responsáveis pelo desenvolvimento dos artefatos de back-end integrantes das soluções tecnológicas e oferecerão suporte à modelagem de requisitos e artefatos e ao desenvolvimento, empregando linguagem Java e framework Spring Boot.

É necessário ter ensino médio completo e no mínimo sete anos de experiência relevante. No caso de pessoas com graduação nas áreas de Tecnologia da Informação, Ciência da Computação, Sistemas de Informação, Engenharia de Software, Análise de Sistemas, Engenharia da Computação e áreas correlatas, o tempo mínimo de experiência é de quatro anos. Inscrições até 16 de agosto.

Acesse o edital e faça sua inscrição

Desenvolvedor Back-end Sênior

Serão selecionadas oito pessoas, que irão desenvolver artefatos de back-end integrantes das soluções tecnológicas e oferecerão suporte à modelagem de requisitos e artefatos e ao desenvolvimento, empregando linguagem Java e framework Spring Boot.

A pessoa interessada na vaga deve possuir diploma de graduação, preferencialmente nas áreas de Tecnologia da Informação, Ciência da Computação, Sistemas de Informação, Engenharia de Software, Análise de Sistemas, Engenharia da Computação e áreas correlatas, e no mínimo dois anos de experiência relevante. Caso tenha diploma de pós-graduação nas áreas citadas, não  é requerida experiência mínima.

Serão consideradas diferenciais a certificação em linguagem de programação Java, experiência anterior no desenvolvimento de soluções para o Poder Judiciário e proficiência em inglês. Inscrições até 16 de agosto.

Acesse o edital e faça sua inscrição

Desenvolvedor Front-end Pleno

Serão selecionadas oito pessoas que irão desenvolver a interface gráfica das soluções tecnológicas do Justiça 4.0. Elas vão codificar os artefatos necessários para atender aos requisitos funcionais e não funcionais da solução, empregando processos de desenvolvimento, arquitetura de software, padrões de projeto, linguagens de programação e ferramentas previamente definidas.

É necessário ter ensino médio completo e no mínimo sete anos de experiência relevante. No caso de pessoas com graduação nas áreas de Tecnologia da Informação, Ciência da Computação, Sistemas de Informação, Engenharia de Software, Análise de Sistemas, Engenharia da Computação e áreas correlatas, o tempo de experiência é de quatro anos. Inscrições até 16 de agosto.

Acesse o edital e faça sua inscrição

Desenvolvedor Front-end Sênior

As 10 pessoas contratadas irão desenvolver a interface gráfica das soluções tecnológicas do Programa Justiça 4.0. Ela irá codificar os artefatos, usando Angular e TypeScript, para atender aos requisitos funcionais e não funcionais da solução. Também vão empregar processos de desenvolvimento, arquitetura de software, padrões de projeto, linguagens de programação e ferramentas previamente definidas.

Para se candidatar, é necessário ter graduação (preferencialmente nas áreas de Tecnologia da Informação, Ciência da Computação, Sistemas de Informação, Engenharia de Software, Análise de Sistemas, Engenharia da Computação e áreas correlatas) e experiência mínima relevante de dois anos. Caso a pessoa tenha pós-graduação na área, não será exigida experiência mínima. Inscrições até 18 de agosto.

Acesse o edital e faça sua inscrição

Assistente de Design e Diagramação

A pessoa irá atuar em atividades de design dos materiais do Programa Justiça 4.0, como o desenvolvimento de projeto gráfico e diagramação de publicações impressas e digitais, a criação de peças para as mídias digitais e o fortalecimento da marca e identidade visual do Programa.

É necessário ter domínio dos softwares de design do Pacote Adobe e ter ensino médio completo e, no mínimo, quatro anos de experiência relevante em atividades correlatas. Caso tenha graduação nas áreas de Design, Publicidade e Propaganda, Marketing, Comunicação Social, Artes Visuais ou afins, a experiência mínima requerida é de um ano. Inscrições até 24 de agosto.

Acesse o edital e faça sua inscrição

Arquiteto de Software

As três pessoas que serão contratadas terão a responsabilidade de avaliar os requisitos funcionais e não funcionais do projeto e definir a arquitetura e tecnologias a serem adotadas no desenvolvimento. Apoiarão também os desenvolvedores e analistas DevOps, UX e UI especialmente para soluções de DataLake e Business Intelligence. E irão conduzir estudos e pesquisas para aprimorar as soluções.

Dentre as competências e habilidades desejáveis, estão: conhecimento aprofundado em arquitetura de software e padrões arquiteturais MVC, em camadas e orientado a microsserviços; experiência no desenvolvimento de microsserviços e em projetos de migração de sistemas monolíticos; conhecimentos em desenvolvimento fullstack de projetos utilizando Java e frameworks Spring Boot e Angular com TypeScript.

A pessoa interessada na vaga deve ter proficiência em português e possuir diploma de graduação, preferencialmente nas áreas de Tecnologia da Informação, Ciência da Computação, Sistemas de Informação, Engenharia de Software, Análise de Sistemas, Engenharia da Computação e áreas correlatas. E, no mínimo, dois anos de experiências relevantes ou diploma de pós-graduação nas áreas citadas. Serão considerados diferenciais certificação em arquitetura de software ou arquitetura de IR e conhecimento intermediário em inglês. Inscrições até 25 de agosto.

Acesse o edital e faça sua inscrição

Agência CNJ de Notícias 

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: