Pesquisa de mercado aponta como marca pode superar desafios

Identificar oportunidades de negócio, desenvolver estratégias de marketing e vendas e reduzir erros nas decisões da empresa são alguns exemplos

Identificar possíveis oportunidades de negócio, desenvolver estratégias de marketing e vendas e reduzir a probabilidade de erros nas decisões da empresa são algumas das maneiras pelas quais a pesquisa de mercado pode ajudar marcas a superarem desafios. Na era da informação, obter dados internos e externos pode ajudar organizações de diferentes segmentos a compreender o comportamento do mercado, manter os cuidados com a reputação digital e acompanhar resultados. 

Conforme o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), as pesquisas de mercado, sejam elas quantitativas ou qualitativas, costumam ser feitas principalmente por meio de entrevistas, questionários, testes ou observação. A investigação é útil para identificar, coletar e analisar dados que possam gerar conhecimento a cerca de um determinado mercado e seu público. Com isso, as marcas podem avaliar oportunidades e ameaças, tomar decisões e delinear ações.

Existem alguns mitos em relação à análise de mercado que podem afetar as atividades das marcas. Temer que esse tipo de investigação tenha sempre custos elevados, considerar que a pesquisa online não é eficiente e achar que o levantamento deve ser feito apenas por grandes empresas são alguns exemplos. 

Conforme portais especializados no tema, o custo da pesquisa de mercado não deve ser pretexto para não realizá-la, já que é possível levantar essas informações, por exemplo, em redes sociais como Facebook, X, Instagram e Linkedin para empresas. Plataformas de e-mail marketing também costumam ter um baixo custo e alcançar uma parcela do público-alvo. 

Nesse contexto, para ganhar mais espaço a partir das análises de mercado, é importante ainda apostar em estratégias como o social selling. O termo faz referência à venda social e diz respeito à criação de relacionamentos e de vendas por meio das redes sociais para construir uma presença online autêntica. 

Para que essa estratégia funcione é necessário que as páginas ofereçam conteúdo relevante, participem de conversas e respondam de maneira ágil às interações dos usuários. Os dados levantados na análise de mercado ajudam na construção desses materiais e na identificação de nichos e oportunidades para novos negócios.

Planejamento e coleta de dados na sobrevivência dos negócios

Empresas de todos os portes e segmentos podem contar com a pesquisa de mercado para tomar decisões mais estratégicas e assertivas, superar desafios e enfrentar dificuldades. Segundo o Sebrae, analisar o mercado estimula uma cultura de inteligência comercial, inclusive nos pequenos negócios.

Dependendo do tipo de estudo, o próprio empreendedor pode aplicá-lo, ou caso contrário, é possível contratar profissionais e empresas especializadas em pesquisa. Elas podem auxiliar na coleta de dados sobre público-alvo, lançamento de produtos, design para identidade visual, gerenciamento de crise, entre outros. 

De acordo com pesquisa sobre “Taxa de sobrevivência das empresas no Brasil”, do Sebrae, divulgada em 2023, 17% das companhias que encerraram suas atividades em 2020, e estavam ainda nos primeiros cinco anos de existência, não fizeram planejamento. Outras 59% que fecharam as portas se planejaram somente para seis meses, no máximo.

Entre os erros dos empreendedores apontados pelo estudo está a falta de levantamento de informações relevantes antes de criar o negócio. Além disso, muitos empreendedores subestimam a importância de entender a concorrência e as tendências do mercado, o que pode levar a decisões inadequadas e, consequentemente, ao insucesso do empreendimento.

Ferramentas ajudam a fazer análise estratégica de mercado 

Estudos da Serasa Experian sobre o impacto da competitividade de mercado entre as empresas reúnem indicações de ferramentas para que gestores e colaboradores possam fazer uma análise de mercado estratégica. A escolha entre elas deve considerar as metas estabelecidas e o tipo de informação que precisa ser coletada.

De modo geral, as oito ferramentas mais usadas incluem pesquisas de mercado, entrevistas com especialistas, dados secundários, método SWOT, tendências de consumo, as cinco forças de Porter, ciclo de vida do produto e segmentação de mercado. As pesquisas de mercado envolvem a coleta direta de informações do público-alvo por meio de entrevistas, questionários e grupos focais.

Os dados secundários utilizam informações existentes como relatórios e estatísticas. Já as entrevistas com especialistas são meios de obter perspectivas detalhadas sobre o mercado consumidor.

A observação de tendências de consumo, por sua vez, é um método indicado para monitorar padrões de compra. Para avaliar de perto os pontos fortes e fracos de um negócio, bem como oportunidades e ameaças, a análise SWOT é a ferramenta recomendada. 

Quando o intuito é compreender como um produto ou serviço está se desenvolvendo ao longo do tempo, desde sua criação até seu declínio, traçar seu ciclo de vida pode ajudar na visualização das oportunidades de mudança, por exemplo. Já a segmentação de mercado divide o mercado em segmentos menores para melhor compreendê-los, e as cinco forças de Porter auxiliam na avaliação de concorrentes no mercado. 

Conforme a Serasa, os empreendedores devem estar atentos constantemente à análise de mercado. Para isso, as marcas precisam revisar e atualizar os dados regularmente para manter sua relevância e sua utilidade no desenvolvimento dos negócios.

O que você pensa sobre este artigo?

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.