AMAZÔNIA BRASIL RÁDIO WEB

Amapá atrai interesse de indústria de energias alternativas

O secretário de Estado das Relações Institucionais, Jorge Amanajás, reuniu-se com representantes da empresa russa Genpower Group, uma das maiores desenvolvedoras de negócios e projetos especiais na área de energia, logística de combustíveis fósseis e alternativos no mundo, que encontrou no Amapá um cenário favorável à implantação de uma indústria no Estado.

O encontro ocorreu na terça-feira, 27, no Palácio do Setentrião, onde foram discutidas as possibilidades de investimentos e os benefícios que serão gerados com a implantação da empresa no Amapá.

De acordo com o diretor-geral da Genpower Group, Marcos Grecco, o que mais chamou a atenção da empresa foi o amplo acesso a recursos naturais, além da posição geográfica estratégica para negócios em que se situa o Estado. "Vimos aqui grandes possibilidades, com a presença vasta de matéria prima, além de uma excelente localização para escoamento de produtos e serviços", explicou Grecco.

O secretário Jorge Amanajás destacou as inúmeras possibilidades que a empresa pode trazer ao Estado realizando serviços que desenvolve ao redor do mundo. "Sabemos que esse é um grupo que trabalha no desenvolvimento em projetos de mineração, portos, construções de hospitais, geração de energia e outros, promovendo parcerias e estruturando negociações para viabilizar acordos comerciais e estruturar negócios nos mais variados setores da economia", contou.

Amanajás destacou o aspecto positivo para a Amapá nesse momento atual, em que o Estado vem atraindo o interesse de investidores de diferentes empresas espalhadas pelo mundo. "Isto é reflexo da estabilidade política que o nosso governo tem conduzido aqui, o que faz com que a Amapá se torne mais visível e mais atraente para investidores estrangeiros", afirmou.
O secretário garantiu que o Governo do Estado irá avaliar a proposta é ver a melhor forma de implantar essas empresas no Amapá.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: