AMAZÔNIA BRASIL RÁDIO WEB

LIRAa aponta lixo domiciliar como maior obstáculo no combate ao Aedes aegypti

A Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) divulgou na manhã desta sexta-feira, 20, o relatório do segundo ciclo do LIRAa (Levantamento Rápido do Índice de Infestação pelo Aedes aegypti), realizado em 2015. De acordo com o levantamento, dos 58 bairros visitados 42 apresentaram baixo e médio risco de infestação do mosquito, que é transmissor tanto da dengue como da febre chikungunya.

A zona norte continua classificada como alto risco para infestação. O levantamento apontou que 50% dos criadouros estão no lixo domiciliar e outros resíduos sólidos, como garrafas PET. Com essas informações, a partir da próxima segunda-feira, 23, as ações de combate e controle, que são realizadas diariamente, serão intensificadas em bairros da zona norte, como Morada das Palmeiras e Parque dos Buritis, e no cemitério São José, no bairro Santa Rita, onde serão feitas a eliminação de criadouros, borrifação, e busca ativa de larvas.

“Mais uma vez nosso levantamento está mostrando que a população não está colaborando com a nossa luta, e a maior incidência dos focos do mosquito Aedes é no ambiente domiciliar. O acúmulo de lixo em quintais é o nosso maior obstáculo. Sem a ajuda da população não poderemos vencer a luta contra a dengue e o chikungunya”, enfatizou o chefe da Vigilância Ambiental, Josean Silva.

Em 2014 o Ministério da Saúde classificou Macapá com índice satisfatório de infestação, com uma redução de 74% dos casos.

Texto e fotos:Jamile Moreira/Asscom Semsa

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: