AMAZÔNIA BRASIL RÁDIO WEB

MPF/AP retorna pela terceira vez ao Distrito do Bailique

A rede integra projetos já desenvolvidos pelas instituições, como a Justiça Itinerante fluvial e terrestre, do Tjap, o Juizado Especial Federal Itinerante, além do MPF na Comunidade e do MPEduc. Em junho, houve uma experiência piloto, também no Bailique, que serviu de base para a formalização de um Termo de Cooperação. O compartilhamento de recursos das instituições visa a otimizar a realização das itinerâncias, barateando custos e levando mais serviços às localidades mais distantes da capital.

Chico Terra: Bailique
Chico Terra: Bailique

No âmbito do projeto MPF na Comunidade, serão apresentadas recomendações sobre questões relativas à saúde, assistência social e meio ambiente. Uma das recomendações orienta a tomada de providências sobre o fenômeno das terras caídas, que tem afetado a comunidade local. Entre elas, a reconstrução de passarelas destruídas pela erosão, o cadastramento de famílias prejudicadas pelo fenômeno e a realização de estudo sobre causas e ações de prevenção.

Outra recomendação orienta à Caixa Econômica Federal e à União que providenciem a instalação de Terminal de Autoatendimento, possibilitando o recebimento de contas, depósitos, saques e transferências de valores pela população local. A medida vai beneficiar principalmente os moradores que recebem o Bolsa Família e que, atualmente, precisam desembolsar até R$ 100 no deslocamento até Macapá para poderem sacar o benefício, cujo valor médio é de R$ 147,00 por família.

A terceira recomendação relativa ao Bailique diz respeito à realocação do Posto de Saúde de Itamatatuba, que corre risco de desabamento por causa da erosão, além de medidas para melhorar o atendimento prestado à população, com a contratação de profissionais de saúde e aquisição de materiais. Essa recomendação concede ainda prazo de 30 dias para a aquisição de ambulancha para atendimento de casos graves com necessidade de deslocamento imediato para Macapá, além de 120 dias para apresentação de cronograma de construção de Unidade de Pronto Atendimento (UPA).

A equipe do MPF/AP também vai fazer diligências para verificar as providências adotadas em relação a recomendações anteriores, relativas a serviços de saúde, abastecimento de água e fornecimento de energia à população. Além disso, haverá a continuidade do projeto MPEduc, ouvindo pais de alunos, professores e gestores locais sobre a situação das escolas locais, além de verificação de medidas tomadas nos últimos quatro meses sobre reivindicações da comunidade relativas a deficiências na infraestrutura da rede de ensino e a falta de professores na região.

“Mais do que ouvir as demandas da população, o objetivo principal dessa jornada é conferir in loco o que está sendo feito, de fato, para atender às reivindicações da comunidade, especialmente aquelas que já foram objeto de recomendações e de inquéritos civis no âmbito do MPF. Com base nisso poderemos definir os próximos passos”, explica o procurador Felipe Moura Palha. A equipe retorna a Macapá no dia 24 de outubro.

Assessoria de Comunicação Social
Ministério Público Federal no Amapá
(96) 3213 7895
prap-ascom
Twitter: @MPF_AP

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: